quarta-feira, 26 de abril de 2017

NINICO É O MAIS NOVO FILIADO DO PRB


Nilson Padilha [NINICO ] aos 49 anos ainda joga futebol , agora resolveu entrar para a Politica. Depois de pesquisar  qual Partido  seria  melhor  Optou  pelo PRB sendo assim mais um camisa 10 dos Republicanos.

Transporte Universitário - O Município de Itapoá protocolou hoje no Ministério Público uma petição contendo as razões para a manutenção do transporte universitário.

Motivado pela recomendação e questões levantadas pelo MP, o município de Itapoá deu mais um passo para a contratação do ônibus para os universitários. No documento protocolado hoje, além das razões para manutenção do ônibus, o município demonstra a legalidade do serviço, que, inclusive, é prestado por diversos municípios de todo o país.
A recomendação do MP e a petição do Munícipio podem ser “baixados” nos links abaixo.
O Prefeito de Itapoá pretende desta forma conseguir que o MP tenha entendimento favorável para a contratação do transporte dos alunos, pois o desenvolvimento de Itapoá tem por pilar a formação dos nossos jovens, porquanto de pouco adiantaria conseguir gerar postos de trabalho se a nossa gente não está preparada para abraçar essas oportunidades.
Itapoá é uma cidade que tem uma preocupação constante e forte com a educação, por isso a Prefeitura trabalha intensamente para beneficiar os universitários que moram em nosso município. O transporte é oferecido pelo Poder Executivo aos universitários itapoaenses como forma de incentivo ao ingresso no ensino superior, consequentemente oportunizando a definição do futuro profissional, além da qualificação a mão de obra.
O novo processo de licitação já esta pronto e aguarda uma manifestação favorável do MP, o que pode ocorrer ainda esta semana.




Mau tempo causa estragos em Santa Catarina e três mortes em Itajaí nesta madrugada


 Foto: Defesa Civil Itajaí

O mau tempo da madrugada desta quarta-feira, 26, causou a morte de três pessoas em Itajaí e estragos em pelo menos 20 municípios de Santa Catarina. Além de chuva, foram registrados ventos, que ultrapassaram os 100 km/h. Um homem e duas crianças (4 e 10 anos), pai e filhas, morreram depois de levar um choque elétrico após um poste cair. As mãe das crianças está hospitalizada. Outras ocorrências de destelhamento em residências, queda de árvores e rede de energia elétrica (postes) foram registradas.
Conforme o secretário da Defesa Civil Estadual, Rodrigo Moratelli, possíveis estragos em pelo menos 20 municípios estão em levantamento. Itajaí foi a cidade mais afetada. “Os eventos foram anunciados pelos alertas da Defesa Civil, mas as ocorrências foram diferentes em cada região ou município, alguns tiveram excesso de chuva e outros a força do vento. Por isso, é muito importante acompanhar a previsão do tempo e os alertas. Solicitamos para quem teve danos materiais aguardar a Celesc ou o Corpo de Bombeiros para a avaliação e consertos. Dados mostram que maior número de mortes nesses eventos acontecem por quedas de níveis e choques elétricos após o ocorrido." 
Em Chapecó, devido ao volume de chuva durante a noite ocorreu na SC-283 um deslizamento de terra, deixando a pista parcialmente obstruída, entre Chapecó e Paial. Está autorizado somente tráfego de veículos pequenos no momento. O Deinfra já foi acionado para tomar as medidas de retirada do material. 

Ainda no Oeste, em Xanxerê, fortes ventos causaram uma média de 50 ocorrências de destelhamento em residências, nove quedas de árvores e rede de energia elétrica. Também foi registrada queda de árvore na BR-282, próximo a Faxinal dos Guedes e Vargeão. Em Jaraguá do Sul, foram registradas quedas de árvores na BR-280, no Bairro Chico de Paulo. Vários pontos da cidade e região ficaram sem energia elétrica. Por volta das 5h30, a região foi atingida por uma pancada de chuva e vento que causaram pequenos estragos. Em Guaramirim, até o momento, foi registrada uma queda de árvore e um outdoor. 

O presidente da Celesc, Cleverson Siewiert, disse que os fortes ventos acima de 100km/h afetaram o sistema elétrico em Santa Catarina. “Tivemos no início da manhã cerca de 12% das unidades consumidoras do Estado desligadas, 350 mil unidades, sendo que as agências regionais de Joinville, Itajaí e Blumenau foram as mais afetadas. Cerca de três horas após os incidentes já tivemos 50% do sistema restabelecido. Estamos com mais de 700 técnicos da Celesc trabalhando para no menor tempo possível recompor o sistema”, informou. 

O Corpo de Bombeiros e Defesa Civil estão atuando em conjunto com a Celesc na retirada das árvores para reestabelecer o sistema. 

Acompanhe boletins com a previsão do tempo da Epagri/Ciram e Defesa Civil SC.


Monitoramento SDC 26/04/2017 – Atualizado às 6h30 - Maiores acumulados de chuva nas últimas 12 horas:
ITÁ 73 mm
SEARA 69 mm
LAGES 63 mm
MONDAÍ 63 mm
ITAPIRANGA 62 mm
CHAPECÓ 58 mm
SÃO JOSÉ DO CERRITO 55 mm
ÁGUAS DE CHAPECÓ 53 mm
PALMITOS 53 mm
CONCÓRDIA 52 mm
RIO RUFINO 48 mm
CONCÓRDIA 48 mm
MARAVILHA 42 mm
GALVÃO 39 mm
SÃO MIGUEL DO OESTE 39 mm
CAPINZAL 38 mm

Recomendações da Defesa Civil SC

Tempestades com descargas elétricas (raios), vento e granizo: Permanecer em local seguro e não transitar em locais abertos, próximo a árvores, placas publicitárias ou objetos que possam ser arremessados. Se houver granizo, é aconselhável que as pessoas se protejam em lugares com boas coberturas, como banheiros das residências. Também é aconselhável fechar janelas e portas e não manusear equipamentos elétricos ou telefones devido aos raios e relâmpagos.
Alagamentos: Evitar o contato com as águas e não dirigir em lugares alagados. Evitar transitar em pontilhões e pontes submersas. Cuidado com crianças próximas de rios e ribeirões.
Deslizamentos de terra: Deve ser observado qualquer movimento de terra ou rochas próximas de residências, inclinação de postes e árvores e rachaduras em muros ou paredes. Neste caso, é recomendável que a família saia de casa e acione a Defesa Civil municipal ou o Corpo de Bombeiros.
Qualquer problema deve ser comunicado à coordenadoria municipal de Defesa Civil, através do telefone de emergência 199 ou para o Corpo de Bombeiros, no número 193. A Defesa Civil do Estado conta com atendimento de 24 horas, com equipes de prontidão. O telefone para contato é o (48) 3664-7056.

Informações adicionais para a imprensa:
Elisabety Borghelotti 
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: bety@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3005 / 98843-5460
Site: www.sc.gov.br 
www.facebook.com/governosc e @GovSC

Chuva deixa 300 mil unidades consumidoras sem luz no Paraná; 70 mil só em Curitiba

Quedas de galhos foram registrados em vários pontos de Curitiba durante a madrugada desta quarta-feira (Foto: Fernanda Fraga/RPC)



A chuva que atinge o Paraná desde a madrugada desta quarta-feira (25) deixou 300 mil unidades consumidoras sem energia elétrica em várias cidades. Dessas, 70 mil são em Curitiba.
A maior parte dos problemas, segundo a Companhia Paranaense de Energia (Copel), foi causada por quedas de árvores. A previsão é de que o fornecimento seja retomado até o final do dia.
Ainda conforme a Copel, o número de desligamentos é o maior registrado nos últimos três anos em todo o estado. Mais de mil técnicos atuam em todo o estado para tentar consertar os problemas.
Entre as cidades mais atingidas estão Curitiba, Mandirituba, Tijucas do Sul e Guaraqueçaba. De acordo com o Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar), os ventos passaram de 81 quilômetros por hora na capital.
A chuva deve continuar ao longo do dia em todo o estado, segundo os meteorologistas. A partir desta quinta-feira (27), as temperaturas vão diminuir. A mínima nesta quinta deve ficar em torno de 8ºC em Curitiba.

Falta d'água

A chuva também deixou vários bairros sem abastecimento de água em Curitiba, Araucária, Piraquara, Pinhais, Colombo, Campina Grande do Sul, Quatro Barras, São José dos Pinhais e Campo Largo. A normalização do abastecimento também está prevista para o início da tarde.
Na capital, os bairros mais prejudicados são: Augusta, Butiatuvinha, Santo Inácio, Cidade Industrial, Mossunguê, Riviera, São Braz, Orleans, Campo Comprido e Bigorrilho.
A Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) pede a colaboração de todos e orienta a população a utilizar a água com racionalidade, evitando desperdício.


terça-feira, 25 de abril de 2017

Entrevista Exclusiva com Dr. Rodrigo J. Legat.

      



Hoje o Blog Itapoá Por Dentro Entrevista o Advogado Rodrigo J. Legat (OAB/SC 29.661), militante junto a Comarca de Itapoá a respeito do Usucapião e quais os requisitos para requerê-lo.



1) Inicialmente o Senhor Poderia fazer uma breve apresentação aos amigos Leitores?



Exerço a Advocacia desde 2010 e no ano de 2016 mudei a base de meu escritório para o município de Itapoá (escritório situado em cima da Caixa Econômica Federal - fone: 3443 - 6605). Desde então venho prestando serviços nas áreas do Direito Civil, Criminal e Previdenciário. Já fui advogado da Cooperativa de Crédito Cresol Rio Fortuna e Santa Rosa de Lima, ambas em Santa Catarina, sendo responsável por um total de oito agências. Atuei também como Assessor Jurídico da Associação Comercial e Industrial de Rio Fortuna/SC e CDL do município de Grão Pará/SC.



2) Como o Senhor vê a questão das ações possessórias no município de Itapoá?



Vejo que a estrutura fundiária é bastante precária. Percebe-se que existe um grande número de transações imobiliárias que acontecem por meio de contratos de cessão de posse. O senso comum não distingue posse de propriedade. A maioria crê que a cessão de posse, principalmente quando lavrada no Cartório de Títulos e Documentos, é o documento probatório da propriedade.

De modo geral, os posseiros do nosso litoral podem ser divididos em dois grupos. O primeiro composto pela população caiçara que, por gerações, tem ocupado a região. Muitos deles tiveram de ceder o pedaço de terra tradicionalmente ocupado por sua família à especulação imobiliária.
Os veranistas constituem o segundo grupo que utiliza a casa de praia como segunda moradia. Pertencem a diferentes extratos sociais, que vão desde a classe média com uma pequena casa de praia até os mais abastados com casas paradisíacas à beira mar. Em síntese, temos os posseiros pobres e ricos, de pescador a grandes empresários
No litoral brasileiro, a complexidade da usucapião pode se acentuar, quando a demanda envolve imóveis próximos das praias, onde se encontram os terrenos de marinha de propriedade da União, que traz o processo para a competência da Justiça Federal. Por serem bens públicos, os terrenos de marinha são insusceptíveis de aquisição por usucapião e sua demarcação exige perícia judicial que terá a missão quase impossível de demarcar os trinta e três metros a contar da linha preamar média de 1831.


3) Em síntese, poderia explicar como funciona o processo de usucapião?



Trata-se de uma ação com de tramitação complexa, pois envolve a citação de todos os confrontantes, além do Município, Estado e União, publicação de edital, intervenção do Ministério Público em todas as fases do processo e, na maioria dos casos, perícia judicial. Muitas vezes o processo tem seu desenrolar prolongado devido à providência a cargo das partes e não do Juízo. É um confrontante não encontrado, a habilitação dos herdeiros, questões ambientais, diferenças de limites, etc. A ação de usucapião exige, sobretudo, fôlego e paciência das partes que, quase sempre, culpam o advogado e o Judiciário pela demora na prestação judicial.


4) Poderia nos explicar quais os tipos de usucapião e quais os seus requisitos?


A legislação Brasileira estabelece os mais diversos tipos de forma de usucapir, vamos a elas:


a) Usucapião coletivo

Essa modalidade de usucapião está prevista na Lei nº10.257/01, que regulamenta o Estatuto da Cidade.
Este instituto privilegia a população de baixa renda que, em conjunto, ocupa determinado imóvel urbano, e nele permanece com posse mansa, pacífica e ininterrupta por cinco anos, para fins de moradia sua ou de sua família.
Não se exige que estes possuidores atuem com animus domini (ou seja, ter a coisa como sua) mas sim, possuir o imóvel de forma mansa, pacífica e ininterrupta.
Cumpre salientar que esta modalidade trata-se de área com extensão superior a duzentos e cinqüenta metros quadrados, e que não tenha como definir o exato terreno ocupado por cada possuidor.
Aqueles que serão contemplados com a propriedade por meio desta usucapião não podem ser proprietários de outros imóveis, sejam eles rurais ou urbanos


b) Usucapião especial rural


Essa modalidade se assemelha a usucapião urbana, só que nesse caso se trata de área rural não superior a 50 (cinqüenta) hectares.
O possuidor que requerer a aquisição da propriedade do imóvel por meio da usucapião especial rural não pode ser proprietário de outro imóvel, seja ele urbano ou rural.
Outro aspecto é que o possuidor deve possuir o imóvel de forma mansa, pacífica e ininterrupta, pelo prazo de 5 (cinco) anos.
Não depende de boa-fé e nem de justo título. Exige-se, apenas, que o imóvel rural esteja sendo utilizado para fins de moradia, e de forma produtiva

c) Usucapião especial urbano

A referida modalidade de usucapião também pode ser denominada de usucapião pro moradia ou usucapião pro misero, uma vez que transforma, em propriedade, a posse do possuidor que não tiver qualquer outro imóvel, rural ou urbano, para fins de habitação.
Assim, para que se configure essa modalidade de usucapião deverão ser observados os seguintes requisitos: imóvel com extensão de, no máximo, 250 metros quadrados; posse mansa e pacífica por um lapso temporal de 5 (cinco) anos ininterruptos; não ser o possuidor proprietário de qualquer outro imóvel rural ou urbano, e que o possuidor utilize esse imóvel para fins de moradia sua ou de sua família.
Não se avalia nessa modalidade de usucapião se o possuidor age de boa-fé ou a existência do justo título, mas apenas se os requisitos citados estão presentes no caso concreto.

d) Usucapião extraordinário

Usucapião é uma forma pela qual o possuidor pode se tornar proprietário da coisa pelo transcurso de tempo e pela qualidade da posse que estiver sendo exercida.
Dessa forma, existem vários tipos de usucapião, e um deles é o extraordinário.
Nessa modalidade os requisitos necessários são:
- posse com animus domini, ou seja, o possuidor ter a coisa como se fosse realmente sua;
- prazo de 15 anos, ininterruptos, de forma mansa e pacífica.
- Nesse caso não será apreciada a boa-fé do possuidor ou a existência de justo título (ou seja, existência de uma causa ou documento que o possuidor acredite ser hábil a constituir a propriedade da coisa, mas que na realidade se revela defeituoso).
Importante mencionar que se o possuidor tiver implementado no imóvel a sua moradia habitual, ou nele tiver realizado obras ou serviços de caráter produtivo, o tempo para que o mesmo seja adquirido por meio da usucapião extraordinária cairá para 10 anos, de posse mansa, pacífica e ininterrupta.


5) Em 2011 a legislação Instituiu um novo tipo de usucapião, o Dr. Poderia esclarecer para os leitores do Blog?



A Lei 12.424, de 16 de junho de 2011, ao introduzir o art. 1240-A no Código Civil, instituiu uma nova modalidade de usucapião no direito positivo. Alguns têm chamado de usucapião familiar; outros, de usucapião especial urbana por abandono do lar. Independentemente da nomenclatura, essa nova modalidade já nasce polêmica, seja por ser inserida em legislação que, em princípio, não causa relação com o novo instituto, seja pelo prazo exíguo, seja pelas diversas dúvidas suscitadas.

Diz a regra que aquele que exercer, por 2 (dois) anos ininterruptamente e sem oposição, posse direta, com exclusividade, sobre imóvel urbano de até 250 m² (duzentos e cinqüenta metro quadrados) cuja propriedade divida com ex-cônjuge ou ex-companheiro que abandonou o lar, utilizando-o para sua moradia ou de sua família, adquirir-lhe-á o domínio integral, desde que não seja proprietário de outro imóvel urbano ou rural.
A criação de nova modalidade de usucapião entre cônjuges ou companheiros representa severo entrave para a composição dos conflitos familiares. Isso porque, quando um ocupar, pelo prazo de dois anos, bem comum sem oposição do que abandonou o lar, pode se tornar seu titular exclusivo (Código Civil, 1.20-A).
Quem lida com as questões emergentes do fim dos vínculos afetivos sabe que, havendo disputa sobre o imóvel residencial, a solução é um afastar-se, lá permanecendo o outro, geralmente aquele que fica com os filhos em sua companhia. Essa, muitas vezes, é a única saída, até porque vender o bem e repartir o dinheiro nem sempre permite a aquisição de dois imóveis. Ao menos assim os filhos não ficam sem teto e a cessão da posse adquire natureza alimentar, configurando alimentos in natura.
Mas agora essa prática não deve mais ser estimulada, pois pode ensejar a perda da propriedade no curto período de dois anos. Não a favor da prole que o genitor quis beneficiar, mas do ex-cônjuge, o companheiro.
No entanto, nesse novo usucapião o que se perquire é a causa de um dos cônjuges ou companheiros ter se afastado da morada comum. Desse modo, se houve abandono do lar, o que lá permanece torna-se proprietário exclusivo. 

6) O novo Códido de Processo Civil, em 2016,  trouxe uma nova modalidade de Usucapião. Poderia explanar a este respeito?


Entre as mudanças que serão trazidas pelo novo Código de Processo Civil (CPC), que vigora desde 2016, uma que é extremamente interessante é a que diz respeito ao usucapião extrajudicial, ou seja, fora da Justiça, em cartório.

Como já explicado, O usucapião de imóvel é uma forma de adquirir a propriedade deste, por exercer sobre ele posse prolongada e ininterrupta por certo prazo, estabelecido em lei (varia de 5 a 15 anos, a depender do caso).
A comprovação disso é tradicionalmente realizada na justiça e o longo prazo de duração desse tipo de processo é uma marca característica dele. Contudo, já é possível ter uma opção além do Poder Judiciário, que é a via cartorária.
O novo Código, através do artigo 1.071, permite que o pedido de usucapião seja realizado perante o Cartório de Registro de Imóveis da comarca em que o bem estiver situado, com acompanhamento de um advogado ou um defensor público.
O pedido deve ser fundamentado e acompanhado de certos documentos que os quais serão devidamente arrolados pelo profissional do direito quando do protocolo do pedido.
Havendo concordância de todos os notificados e estando a documentação em ordem, o oficial do cartório poderá deferir o pedido e promover o registro do bem.
Rejeitado o pedido, nada impede que interessado recorra à via judicial, ajuizando uma ação de usucapião.
A escolha pela via extrajudicial cabe à parte, que poderá optar por deduzir o seu pedido em juízo se assim preferir, ainda que não haja litígio.

7) Após esta brilhante explicação à respeito de tão relevante tema deixo este espaço aberto para suas considerações finais.

Gostaria de agradecer inicialmente ao seu convite Miguel para prestar esclarecimentos aos seus leitores sobre um tema de forte demanda no município de Itapoá. Em segundo lugar dizer que todo ajuizamento de ação judicial deve ser minuciosamente avaliado por Advogado de sua confiança e com Know hall nesta área, a fim de se evitar verdadeiras aventuras judiciais.




Dr. Rodrigo J. Legat OAB/SC 29.661 – Legat Advocacia. Causas Criminais, Cíveis e Previdenciárias. Avenida André Rodrigues de Freitas, 956, Sala 04, Prédio Caixa Econômica Federal, Itapema do Norte, Itapoá/SC. CEP: 89.249.000. Telefones: (47) – 3443-6605 – (47) –99692-4548

Paraná Competitivo amplia participação do Estado em empregos na indústria


Os investimentos atraídos pelo programa de incentivos Paraná Competitivo contribuíram para aumentar a participação do Estado na geração de vagas na indústria e foram responsáveis, inclusive, por sustentar o emprego em alguns setores no País. Em pelo menos dois deles – papel e celulose e fabricação de pneus – o Paraná, sozinho, gerou mais vagas do que todo o Brasil nos últimos anos. 

O levantamento, realizado pelo Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes), tomou como base o período de janeiro de 2011, quando o Governo Estadual lançou o programa, a fevereiro de 2017. Foram usadas informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD). 

Em 2012, o Paraná respondia por 7,81% das ocupações da indústria da transformação no Brasil. Mesmo com a crise econômica, o Estado aumentou sua participação nos últimos anos e, no fim de 2016, representava 8,02% do emprego no setor. 

Enquanto isso, São Paulo, maior polo industrial do País, teve sua participação reduzida de 31% para 29,5% no total de empregos do setor. No fim do ano passado, eram 812 mil pessoas ocupadas na indústria do Estado. 

Criado em 2011, o Paraná Competitivo já atraiu R$ 42 bilhões em investimentos, sendo R$ 24 bilhões de empresas privadas e R$ 18 bilhões de estatais. O número de empregos diretos gerados pelos empreendimentos cadastrados no programa é de cerca de 100 mil. 

PAPEL E CELULOSE - Os investimentos da Klabin em Ortigueira, maior projeto atraído pelo Paraná Competitivo até agora, são um exemplo desse movimento. O empreendimento provocou um salto na geração de empregos do setor de papel e celulose na região. A fábrica recebeu investimentos de R$ 7 bilhões para produzir 1,5 milhão de toneladas de celulose. 

Entre janeiro de 2011 a fevereiro de 2017, a fabricação de celulose, papel e produtos de papel registrou saldo positivo no emprego com carteira assinada de 3.296 vagas na microrregião de Telêmaco Borba (que abrange o município de Ortigueira). Nesse mesmo período, o emprego formal no setor em nível nacional contabilizou saldo de 2.986 vagas. “Ou seja, sem o desempenho do Paraná, o saldo do setor seria negativo. Quando se olha no detalhe percebe-se o impacto sobre a geração de empregos que o programa teve. E é um resultado relevante, principalmente em regiões de baixo desenvolvimento econômico”, diz Julio Suzuki Júnior, diretor presidente do Ipardes. 

PRODUTOS DE BORRACHA - Outro exemplo é a japonesa Sumitomo, que, com o apoio do programa estadual de incentivos, instalou um complexo industrial para produção de pneus em Fazenda Rio Grande, na região de Curitiba. 

A fabricação de produtos de borracha, que engloba a produção de pneus da multinacional japonesa, registrou um saldo positivo no emprego com carteira assinada de 724 vagas no município de Fazenda Rio Grande entre janeiro de 2011 e fevereiro de 2017. No âmbito nacional, houve eliminação de 7.590 postos de trabalho nesse segmento, ou seja, a trajetória foi inversa. 

“Os impactos muitas vezes ficam menos visíveis em um contexto de crise como a que vivemos nos últimos anos, mas sobretudo no Interior, em regiões fora de Curitiba, os investimentos do Paraná Competitivo vêm gerando desenvolvimento econômico”, afirma.

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governopr e www.pr.gov.br

Frente fria traz chuva para SC no início desta semana e a previsão indica frio intenso a partir de quarta-feira com a chegada de uma massa polar


Foto: James Tavares/Arquivo Secom
A semana começa com sol e algumas nuvens em Santa Catarina. No Oeste e Sul do Estado, há aumento de nebulosidade e chance de chuva isolada à noite. A temperatura estará em elevação durante o dia. A massa de ar seco que atua no Estado se afasta.
Na terça-feira, 25, o tempo fica instável com chuva a partir da madrugada no Oeste e nas demais regiões no decorrer do dia. Há risco de temporal isolado, especialmente no Oeste. Caso as previsões do setor de meteorologia da Epagri/Ciram se confirmem, há riscos de alagamentos, enxurradas, tempestades com descargas elétricas (raios) e vendavais ao longo da terça-feira. O acumulado pontual deve ser de 50 a 80 mm, podendo chegar a 100 mm no Oeste. A temperatura estará amena devido a cobertura da nebulosidade e o deslocamento de uma frente fria pelo estado.
Na quarta-feira de madrugada e manhã, a previsão é de chuva em boa parte do Estado, devido a frente fria. No decorrer do dia, as nuvens diminuem e o sol aparece em SC. A partir de quarta-feira, a temperatura estará em declínio, frio à noite com o avanço de uma massa de ar polar sobre Santa Catarina. 
De acordo com o meteorologista Clóvis Correa, a massa de ar frio que chega na quarta-feira vai se manter na quinta, sexta, sábado e domingo. “As temperaturas devem ficar negativas principalmente nas partes altas de SC, como por exemplo, o Planalto Sul catarinense, há ainda previsão de geada nessas regiões”, informou.
Recomenda-se o acompanhamento diário da previsão do tempo.
Qualquer problema deve ser comunicado à coordenadoria municipal de Defesa Civil, através do telefone de emergência 199 ou para o Corpo de Bombeiros no número 193.
Recomendações da Defesa Civil SC:
Alagamentos: evitar o contato com as águas e não dirigir em lugares alagados. Evitar transitar em pontilhões e pontes submersas e cuidado com crianças próximas de rios e ribeirões.
Enxurradas: Não fique próximo às margens de rios e ribeirões, principalmente em regiões de relevo acentuado, montanhoso e pequenos vales, pois muitas vezes há temporais intensos sobre os topos e cabeceiras, gerando repentinamente grande quantidade de água num curto espaço de tempo. Este tipo de evento adverso apresenta grande poder destrutivo, podendo arrastar veículos, pessoas, animais e mobílias por vários quilômetros. A força das águas pode ainda provocar o rolamento de blocos de pedras, arrancar árvores, destruir edificações e causar deslizamentos de terra nas margens.
Tempestades com descargas elétricas (raios) e ventos fortes: Proteja-se em local abrigado, longe de placas, de árvores, de postes de energia e de objetos que podem ser arremessados. Se não encontrar um abrigo, agache-se com os pés juntos, com a cabeça encostada em seu peito ou entre os joelhos e as mãos cobrindo suas orelhas ou apoiadas em seus joelhos. Se estiver na praia, jamais fique na água. Não olhe para o raio. Se estiver em casa ou qualquer outro local abrigado, desligue os aparelhos eletrônicos, não use o telefone, fique longe das janelas e lembre-se, o banheiro em alvenaria é o melhor local durante uma tempestade!
Mais informações:Epagri/Ciram
Fone: (48) 3665-5006

Três suspeitos de participar de mega-assalto são mortos em confronto no Paraná


(Foto: Divulgação – Ministerio del Interior de Paraguay)
Três suspeitos de participarem de uma quadrilha que levou US$ 40 milhões (R$ 120 milhões) da empresa Prosegur de Ciudad del Este, no Paraguai, foram mortos durante confronto com policiais brasileiros na região de Itaipulândia e São Miguel do Iguaçu, no oeste do Paraná, na tarde de desta segunda-feira, 24. Outros dois homens ficaram feridos. Eles teriam cruzado a fronteira após praticar um assalto cinematográfico à sede da empresa, situada a quatro quilômetros da Ponte da Amizade, que liga Brasil e Paraguai, com granadas e metralhadoras. Um policial foi morto no ataque à Prosegur.
Os assaltantes chegaram ao Brasil pelo lago de Itaipu e foram localizados por agentes do Núcleo Especial de Polícia Marítima (Nepom), da Polícia Federal, por volta do meio-dia, no município de Itaipulândia, a 70 quilômetros de Foz do Iguaçu, que faz fronteira com a localidade de Puerto Índio, no Paraguai. Ao avistar a embarcação, os policiais foram recebidos a tiros. Os membros da quadrilha fugiram a pé e em carros e começaram a espalhar terror pela região.
Veículos foram roubados para fuga e propriedades rurais invadidas. Um homem ferido com dois disparos que tentava embarcar para São Paulo na rodoviária de São Miguel do Iguaçu também foi preso. A polícia acredita que os membros do grupo se dividiram na fuga e apenas 10 a 12 integrantes, de um total estimado de 30, teriam passado para o lado brasileiro.
Um gabinete de gestão de crise, com participação de policiais brasileiros e paraguaios, foi montado na delegacia da PF em Foz do Iguaçu para centralizar as investigações. O Ministro do Interior do Paraguai, Lorenzo Lescano, que nesta segunda esteve em Foz do Iguaçu acompanhando os trabalhos, disse que são grandes as possibilidades de envolvimento de organizações criminosas brasileiras no assalto.
“Tudo aponta que foi o Primeiro Comando da Capital”, diz. Ele ainda afirma que a maioria dos membros da quadrilha seria do Brasil porque foram encontrados veículos com placas do País usados pelos marginais. Outra informação que reforça a participação de brasileiros são os diálogos fluentes em português ouvidos por testemunhas.
O delegado-chefe da PF em Foz do Iguaçu, Fabiano Bordignon diz que a participação do PCC no roubo será investigada. No entanto, ele salienta que a ação não foi de amadores e que assaltos similares já foram realizados no Brasil. “É um roubo que precisa de um planejamento grande”.
Durante as buscas, os policiais recuperaram quatro veículos e uma viatura da Polícia Militar que haviam sido roubados pelos assaltantes, um fuzil, sete quilos de explosivos, uma pistola, uma embarcação e munição de calibre ponto 50, além de malotes vazios da Prosegur. No lado paraguaio, não havia informações de presos.
A operação para prender os assaltantes se estendem pela noite, com participação das polícias Rodoviária, Civil, Militar, Ambiente e a Guarda Municipal de Foz do Iguaçu. A PF aguardava a chegada de helicópteros para ajudar no patrulhamento.
O clima em Ciudad del Este após o assalto era de tensão. A residência de um casal de idosos, situada em frente à empresa, foi parcialmente destruída. Com medo, Alejandro Anisimoff e a esposa permaneceram por três horas escondidos embaixo da cama.
Nove escolas municipais, situadas no centro da cidade e próximas à Prosegur, suspenderam as aulas para garantir a segurança de alunos e professores, segundo a prefeitura. A universidade UPAP, onde o policial morto Bo assalto, Sabino Ramón Benítez, do Grupo Especial de Operações, que fazia a segurança da empresa, era aluno de educação física, também cancelou as aulas e as provas foram transferidas. A segurança em toda a região foi reforçada após o assalto.

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Divulgação da revisão do eleitorado com biometria

O TRE-SC realizará uma reunião a respeito da divulgação da revisão do eleitorado com biometria. Cada imprensa poderá ter 1 representante na reunião.

Local: Câmara de Itapoá.

Data:03/05/2017.

Horário: 14:00 hrs

ANIVERSÁRIO DA PEQUENA MAISA





























A pequena Maisa Batista  filha do casal José  Antonio Batista e Maiara Rodrigues comemorou seu 6º aniversário Junto aos amigos nas dependências do bar da família [ antigo Kojak ] na Barra do Sai.








CORRIDA RUSTICA NO 28º ANIVERSÁRIO DE ITAPOÁ


Melhores momentos da corrida rustica em comemoração ao  28º aniversário de Itapoá,  a corrida contou com atletas de Itapoá e de outras cidades de Santa Catarina e Paraná, uma organização da Prefeitura municipal de Itapoá e secretaria municipal de Turismo.

                     EM TEMPO
 CORRIGINDO NOSSA FALHA TESTO ABAIXO

Olá boa tarde. Vi o seu post sobre a corrida de Itapoá e queria pedir que vc revisar o texto para passar a informação correta. Por respeito à prefeitura, apesar de todos os problemas que enfrentamos, estamos divulgando que aconteceu uma parceria com a Prefeitura e não que a Prefeitura apenas apoiou o evento.
https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/v/t1.0-1/p32x32/17757600_1901424523409875_312098740792920902_n.jpg?oh=98c7ef7ffc69ebef77c710c6d4909b62&oe=59953AD0
Porém gostaria de informar o como os fatos aconteceram para vc conhecer os dois lados da história e poder divulgar uma nota isenta.
https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/v/t1.0-1/p32x32/17757600_1901424523409875_312098740792920902_n.jpg?oh=98c7ef7ffc69ebef77c710c6d4909b62&oe=59953AD0
O Grupo Divando de Tenis pagou de 8.000,00 a 10.000,00 pela corrida (cronometragem, backdrop, divulgação, seguro atletas e Permit da Federação Catarinense de Atletismo - vc viu que tinha até fiscal presente, e esse profissional foi pago pelo Divando e outras coisas mais que estamos fazendo o balancete). Com as 160 inscrições no valor de 40,00 cada, descontando as taxas, tivemos um lucro líquido de 6.000. Com patrocínio arrecadamos mais 1.600,00. Essa foi a participação do Divando de Tênis. A prefeitura (secretaria de esportes) deu as medalhas e os troféus no valor de 2.300,00 e a secretaria de turismo cuidou da desastrosa sinalização da pista. As placas de sinalização foram pagas pelo Divando. A Prefeitura só colocou cones e cavaletes e disponibilizou algumas pessoas para ficarem no trajeto.
https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/v/t1.0-1/p32x32/17757600_1901424523409875_312098740792920902_n.jpg?oh=98c7ef7ffc69ebef77c710c6d4909b62&oe=59953AD0
Quem realizou a corrida foi o Divando e quem organizou a corrida foi o Divando de Tênis. Quem prejudicou a corrida porque não fez seu trabalho direito foi a secretaria de turismo, que quase anulou a prova por causa das reclamações. A Secretaria de Esportes deu os troféus, mas faltaram 6, a gente teve que reutilizar troféus para não ficar feio!
https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/v/t1.0-1/p32x32/17757600_1901424523409875_312098740792920902_n.jpg?oh=98c7ef7ffc69ebef77c710c6d4909b62&oe=59953AD0
Os números não são exatos, é só para vc ter noção. Vamos apresentar o caixa direitinho em breve.
Então que fez a corrida foi o Divando de Tênis e não a Prefeitura.

OBRIGADO ONEIDE URSO








sábado, 22 de abril de 2017

MELHORES MOMENTOS DO BAILE DA 3ª IDADE DO CLUBE CÉU AZUL DO PONTAL

 Confira como foi o baile da terceira idade do clube céu azul do pontal, baile animado pelo grupo musical fogo e paixão de Joinville tocando musicas dos anos 60 e 70 para um publico exigente pois recordar é viver por isso querem musica contemporâneas da velha guarda.








"Jhony Bravo" é morto com mais de 45 tiros , uma mulher foi baleada mas resistiu


Diony Pereira, de 29 anos, conhecido "Jhony Bravo", foi executado com mais de 60 tiros na noite de sexta-feira (21) na Rua Curitiba, no Jardim Cometa, em Sarandi, região norte do estado.


A vítima estava sentada em uma mesa tomando uma cerveja quando três homens desceram de um carro de cor vermelha atirando.

Diony não teve chance de correr dos criminosos e morreu local. Durante os disparos, a proprietária da cervejaria Aparecida de Fátima Vieira, de 48 anos, que trabalha no local foi alvejada com um tiro na coxa. A mulher foi socorrida por uma equipe do Siate de Sarandi e encaminhada para o pronto socorro do Hospital Metropolitano de Sarandi.

A cena do crime foi isolada pela Polícia Militar, pois haviam centenas de munições espalhadas ao lado do corpo de Diony Pereira. O perito criminal recolheu 65 estojos deflagrados de calibre 9mm. Os tiros atingiram apenas a cabeça da vítima. Diony possuía anotações criminais.

Câmeras de monitoramento da cervejaria e de outros estabelecimentos comerciais poderão ajudar a polícia na investigação. O corpo do rapaz foi encaminhado para o IML de Maringá.

André Almenara

Paraná é o primeiro do mundo na produtividade de soja


A produtividade média da soja no Paraná será a mais alta do mundo nesta safra. Com a produção de 3,6 toneladas por hectare, o Estado supera em 4% a média colhida nos Estados Unidos, maior produtor do planeta, que atingiu 3,5 ton/hectare. O volume médio paranaense também é 11% superior à média brasileira, que alcança 3,2 ton/hectare. 

A estimativa é que o Paraná produza 19 milhões de toneladas de soja na atual safra - uma alta de 13% sobre o volume registrado na colheita passada. Segundo dados do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria da Agricultura e Abastecimento, o clima e a capacitação do agricultor contribuíram para a evolução da produção. 

O Deral também destaca que a safra de verão deve alcançar 24,2 milhões de toneladas neste ano – 19% a mais do que no ano passado. Além da soja, entram nesta soma as lavouras de milho e de feijão. “Estes números confirmam a eficiência dos produtores rurais paranaenses, que ano a ano, buscam aprimorar o desenvolvimento tecnológico como forma de melhorar a produtividade e a rentabilidade das lavouras”, afirma o secretário da Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara. 

Marcelo Garrido, técnico do Deral, reforça que a capacidade técnica do agricultor e os serviços de assistência mantidos no Paraná garantem ao Estado o segundo posto na produção de grãos no Brasil. “Neste ano, o clima beneficiou a produção”, disse ele. “Mas, junto com isso, sempre há investimento em tecnologia e no bom manejo das lavouras”, destaca. 

A estimativa do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes) é que o PIB do agronegócio paranaenses suba 1,5% neste ano, contra uma queda de 2,4% projetada para 2016 (os números oficiais ainda não estão disponíveis). “Quando maior a produção, mais dinheiro circula. Com isso a economia segue rodando”, comemora Garrido.

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governopr e www.pr.gov.br