segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

O ATLETIBA QUE NÃO ACONTECEU!

O futebol paranaense viveu, na tarde deste domingo (19), um dos seus capítulos mais vergonhosos. Coritiba e Atlético, principais clubes do Estado, foram impedidos de disputar o clássico 370 da história, na Arena da Baixada. A Federação Paranaense de Futebol (FPF) causou uma revolta geral das torcidas no Joaquim Américo ao não permitir a realização da partida por conta da transmissão inédita organizada pela dupla via internet.
As diretorias do Coxa e do Furacão não abriram mão de transmitir online a partida e atleticanos e alviverdes, de forma histórica, se uniram por um futebol paranaense melhor.
Com os dois times postados, a arbitragem não autorizou o início da partida e uma pequena confusão se formou na beira do gramado.

 A primeira informação é de que os profissionais que trabalhariam na transmissão não estavam credenciados. Mas o buraco era mais embaixo. A ordem ao árbitro Paulo Roberto Alves Júnior para não realizar a partida enquanto a transmissão estivesse no ar via internet veio do presidente da Federação Paranaense de Futebol (FPF), Helio Cury.
Cerca de 15 minutos depois, o Atlético, puxado pelo técnico Paulo Autuori, voltou para o vestiário. A partir daí, os rumores ficaram mais fortes do possível cancelamento da partida. As torcidas dos dois clubes passaram a protestar contra a entidade máxima do futebol paranaense. Com as informações passadas pelo sistema de som da Arena, os gritos de vergonha foram entoados por coxas-brancas e atleticanos.

Por volta das 17h30, os dois times retornaram ao gramado, enquanto os dirigentes das duas equipes tentavam convencer a arbitragem a iniciar a partida.
Os mesmos cartolas fizeram muitas ligações buscando solucionar o problema, mas nada fez a FPF mudar de ideia. O vice-presidente do Coxa, José Fernando Macedo, declarou que sugeriu à arbitragem que os profissionais que fariam a transmissão via internet saíssem do gramado, mas a resposta foi negativa mais uma vez.

Por volta das 17h40, os jogadores titulares e reservas de Coritiba e Atlético voltaram ao gramado da Arena da Baixada. Intercalados e de mãos dadas, os atletas e os técnicos Paulo Autuori e Paulo César Carpegiani se reuniram no meio de campo e aplaudiram o público presente no Joaquim Américo.
Por volta das 17h45, o quarteto de arbitragem se retirou do gramado e logo em seguida o sistema de som da Arena confirmou o cancelamento do jogo. Imediatamente as duas torcidas começaram a protestar contra a FPF e, em coro, gritaram vergonha.
Fora da Arena da Baixada, poucos minutos depois das saídas das torcidas, algumas confusões foram registradas. Houve alguns confrontos entre torcedores do Coxa com a Polícia Militar, mas nenhuma ocorrência foi registrada. O delegado da Delegacia Móvel de Atendimento a Futebol e Eventos (DEMAFE), Luiz Carlos de Oliveira, afirmou que o cancelamento da partida poderia ter causado muitos estragos e confrontos fora do estádio.
“Lamentavelmente o fato que ocorreu, da alteração do jogo, isso nos trouxe uma dificuldade muito grande. Mas pelo que vimos, foi até tranquilo. Poderia ter causado um estrago muito maior. Além da rivalidade clubística, torcedores de Atlético e Coritiba vieram até aqui com a disposição de assistir o jogo e é alterado, é cancelado. Isso traz um transtorno muito grande”, concluiu Oliveira.

Sérgio Moro é fora do comum. Um milagre ainda estar vivo”, diz vencedor de prêmio Nobel

O escritor peruano e prêmio Nobel de literatura Mario Vargas Llosa afirmou que a empreiteira Odebrecht merece um monumento em sua homenagem porque “nenhum governo, empresa ou partido político fez tanto quanto ela desvelando a corrupção que corrói os países da América Latina, nem trabalhou com tanto ânimo para fomentá-la”. No mesmo texto, intitulado “O furacão Odebrecht”, ele afirma que Sergio Moro é “um juiz fora do comum” e que é um “milagre” que esteja vivo.
Llosa lembra que a Odebrecht gastou cerca de 800 milhões de dólares em propinas pagas a chefes de Estado, ministros e funcionários de governo para ganhar licitações e obter contratos superfaturados. Llosa argumenta “nunca haveria uma punição se entre seus cúmplices não houvesse um grande número de diretores da Petrobrás, petrolífera brasileira que, investigada por um juiz fora do comum, Sérgio Moro, que abriu a caixa de Pandora – aliás, é um milagre que ainda continue vivo.”
O escritor lembra também que o ex-presidente peruano Alejandro Toledo, que está fora do país na condição de foragido, teve a prisão preventiva decretada, enquanto o envolvimento dele com a construtora é investigado. E diz que “nada desmoraliza tanto uma sociedade quanto admoestar os governantes que chegaram ao poder com os votos das pessoas comuns e aproveitaram esse mandato para enriquecer, pisoteando as leis e degradando a democracia”.
Para Llosa, a corrupção é, hoje em dia, a maior ameaça para o sistema de liberdades que está abrindo caminho na América Latina depois dos grandes fracassos das ditaduras militares e dos sonhos messiânicos dos revolucionários. “É uma tragédia que, quando a maioria dos latino-americanos parece estar convencida de que a democracia liberal é o único sistema que garante um desenvolvimento civilizado, na convivência e na legalidade, conspire contra essa tendência a rapina frenética de governantes corruptos”.
Sua análise foi publicada em um artigo no jornal O Estado de S. Paulo.

SUPERAÇÃO, Paraná Clube faz 1x0 no PSTC e segue na ponta

Foi na raça e na superação. Sob uma temperatura elevada e tendo pela frente um gramado alto e “atípico”, o Paraná Clube venceu mais uma e voltou à liderança isolada do Campeonato Paranaense. O Tricolor fez 1x0 no PSTC, neste domingo (19), no Ubirajara Medeiros, em Cornélio Procópio. O gol foi marcado no segundo tempo, pelo atacante Felipe Alves, que entrara na vaga de Vitor Feijão, ainda no primeiro tempo. “Tenho que dar parabéns aos jogadores. Não foi um bom jogo. Mas soubemos sofrer e arrancar um resultado importantíssimo”, disse o técnico Wagner Lopes.

O Paraná Clube já previa um jogo complicado, pela condição do gramado e pela alta temperatura, além – é claro – do adversário, que precisava do resultado para se afastar das últimas colocações. Logo no início, Gabriel Dias arriscou de longe, mas a bola subiu demais. Aos poucos, o PSTC se lançou ao ataque e começou a levar perigo ao goleiro Léo. Para piorar, Vitor Feijão sofreu uma lesão de joelho, aos 15 minutos. Sua perna “travou” no gramado irregular e teve que sair de campo para a entrada de Felipe Alves.

A melhor oportunidade caiu nos pés de Matheus Carvalho, aos 24 minutos. Lançado em profundidade, ele tentou encobrir o goleiro Juninho, mas mandou por cima do travessão. Do outro lado, Léo foi preciso em finalizações de Rone Dias e Carlos Henrique. O zagueiro Denílson ainda acertou o travessão, de cabeça, após cobrança de falta de Rone Dias. Nos acréscimos, Eduardo Brock também teve boa chance, de cabeça, mas mandou pela linha de fundo.

No intervalo, Wagner Lopes procurou ajustar o posicionamento da equipe, minimizando as infiltrações do PSTC. Com a correção, o Paraná voltou “ligado” e aos 5 minutos chegou ao gol. Na cobrança de escanteio de Renatinho, a bola sobrou para Felipe Alves, que ajeitou e mandou no canto esquerdo: 1x0. Com a vantagem, o Tricolor se postou na marcação e passou a explorar os contragolpes, com velocidade, principalmente após a entrada de Guilherme Biteco. O PSTC tentou pressionar, mas as raras oportunidades pararam sempre nas mãos de Léo, um dos destaques do jogo. Com a vitória o Tricolor chega aos 12 pontos, encaminhando classificação para a fase decisiva do Estadual.

PSTC 0x1 PARANÁ CLUBE
PSTC: Juninho; Paulinho, Denílson, Marcão e Guilherme; Cleverson (Dener), Santiago, Erik e Rone Dias (Lima); Lucão (Boré) e Carlos Henrique. Técnico: Reginaldo Vital.

Paraná: Léo; Diego Tavares, Airton, Eduardo Brock e Igor; Leandro Vilela (Jhony), Gabriel Dias, Renatinho e Matheus Carvalho (Guilherme Biteco); Vitor Feijão (Felipe Alves) e Ítalo. Técnico: Wagner Lopes.

Local: Ubirajara Medeiros (Cornélio Procópio-PR)
Árbitro: Felipe Gomes da Silva
Assistentes: Felipe Gustavo Schmidt e Luiz Paulo Galli
Renda: R$ 11.510,00
Público pagante: 678
Público total: 764
Gol: Felipe Alves aos 5’ do 2º tempo
Cartões amarelos: Guilherme e Rone Dias (PSTC). Brock e Leandro Vilela e Diego Tavares (Paraná)

Departamento de Comunicação - PRC

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Governador Colombo anuncia a chamada de novos policiais militares nesta segunda-feira

O governador Raimundo Colombo anuncia na manhã desta segunda-feira, 20, a chamada de novos policiais militares do último concurso realizado no Estado. O anúncio será às 9h30 no Centro de Ensino da Polícia Militar de Santa Catarina, no Bairro Trindade, em Florianópolis, com a presença do secretário de Estado da Segurança Pública, César Augusto Grubba, e do comandante-geral da Polícia Militar, coronel Paulo Henrique Hemm.

Os novos policiais militares são os excedentes do último concurso realizado no Estado, no qual já foram chamados 711. A quantidade de novos policiais e a data ainda não foram confirmadas. Depois de convocados, os novos policiais ingressam em um curso a partir de maio de 2017 e a formatura está prevista para primeira quinzena de dezembro.

Atualmente, a Polícia Militar de Santa Catarina conta com um efetivo de aproximadamente dez mil policiais. Entre 2011 e 2016, foram realizados nove concursos públicos com o ingresso de quatro mil novos policias.
Serviço
O quê: Anúncio da chamada de novos policiais militares
Quando: 20 de fevereiro de 2017, às 9h30
Onde: Centro de Ensino da Polícia Militar de SC, no Bairro Trindade, em Florianópolis

Informações adicionais para a imprensa:
Rafael Vieira de Araújo
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: rafael@secom.sc.gov.br  
Telefone: (48)  3665-3005 / 99116-8992
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e  @GovSC

- Mulher perde a vida em acidente entre Altamira do Paraná e Campina da Lagoa

Um grave acidente foi registrado no início da tarde deste sábado na PR-364, entre Altamira do Paraná e Campina da Lagoa. Um caminhão Volvo, Placas MFX-3786, de Palmital-PR, transitava sentindo Campina da Lagoa quando o motorista perdeu o controle e saiu da pista vindo a capotar.


A Policia Militar de Campina da Lagoa foi acionada e se dirigiu ao local e tomou os primeiros procedimentos, solicitando atendimento da ambulância e da Polícia Rodoviária Estadual.


Com a chegada da equipe de saúde local foi constatado o óbito de Juliana da Conceição, 35 anos, já o motorista identificado como Evandro Daniel Vieira, 30 anos, estava preso entre as ferragens em estado grave, sendo acionado o socorro do SAMU que acabou solicitando o resgate aéreo que socorreu e fez a remoção da vítima em estado grave.


A Polícia Civil e o IML de Campo Mourão estiveram no local para remoção do corpo da vítima que foi encaminhado para autopsia.  

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Batida frontal entre carro e caminhão deixa seis mortos na BR-153; entre eles, três crianças

O acidente aconteceu no final da noite desta sexta-feira, 17, por volta das 22h30, na Serra do Honorato, em General Carneiro/PR. No local, ocorreu uma colisão frontal envolvendo um caminhão, placas de Getúlio Vargas/RS, e um Gol, placas de Xaxim/SC.

No automóvel, estavam seis ocupantes, que morreram no local. Sandro Miguel de Oliveira, de 27 anos, estava com a esposa, Eliana de Oliveira, de 30 anos. Ocupavam ainda o automóvel a sogra do motorista, Rosa de Almeira, de 53 anos, e os três filhos, Amanda Picini, de 12 anos, e dois meninos, Pedro Lucas de Oliveira, de cinco anos, e João Hélio de Oliveira, de um ano e meio.

O condutor teria perdido controle e invadido a pista onde estava o caminhão. Uma viatura da Polícia Militar que seguia em frente ao caminhão presenciou o acidente.
Os Bombeiros e a ambulância da prefeitura de General Carneiro foram acionados para prestarem socorro no local. A remoção dos corpos foi feita durante a madrugada de sábado, 18, já que o carro ficou prensado embaixo do caminhão.

BR-376, em Mauá da Serra, é liberada após acidente entre quatro veículos

Rodovia ficou fechada por causa de acidente, na manhã deste sábado (18).
Uma pessoa morreu e ao menos cinco ficaram feridas, diz concessionária.


Todas as pistas da BR-376, no trecho de Mauá da Serra, no norte do Paraná, tiveram trânsito liberado por volta das 13h40 deste sábado (18), de acordo com a concessionária Rodonorte. A rodovia foi interditada em virtude de um acidente envolvendo quatro veículos, nesta manhã.
O fechamento das pistas para o resgate das vítimas (veja no vídeo acima) provocou congestionamento, que ainda é grande no local - após a liberação, a fila de carros chegava a 10 quilômetros em cada sentido.
De acordo com a concessionária, uma pessoa morreu e ao menos cinco ficaram feridas no acidente, registrado por volta das 7h40, no km 308 da rodovia, na Serra do Cadeado, na pista sentido Curitiba.
A Rodonorte trata o acidente como um engavetamento. Pelas informações obtidas no local, uma caminhonete bateu contra um caminhão que transportava agrotóxicos e, em seguida, o caminhão-tanque carregado de combustível bateu contra um ônibus.
O caminhão de combustível pegou fogo e as chamas se alastraram, atingindo também o ônibus e o caminhão com agrotóxicos, conforme a Rodonorte. Um quinto veículo que não se envolveu no engavetamento também pegou fogo. Segundo a concessionária, os ocupantes já não estavam mais no carro e não se feriram.
Vítimas
O motorista do caminhão-tanque carregado com combustível morreu no local, segundo a Rodonorte. O corpo do condutor foi encaminhado ao Instituto Médico-Legal de Apucarana, no norte.
A concessionária informou que três ocupantes da caminhonete ficaram feridos. Um deles, com ferimentos graves, foi atendido pelo Samu de Apucarana e levado para o Hospital da Providência; outro foi atendido pelo helicóptero do Samu de Londrina e levado para o Hospital Evangélico. A terceira vítima tinha voltado para Mauá da Serra, mas passou mal e foi encaminhada ao Hospital da Providência, em Apucarana.
Duas pessoas que estavam no ônibus ficaram feridas, de acordo com a Rodonorte. O motorista foi encaminhado ao Hospital da Providência, em Apucarana, com ferimentos graves. Um passageiro foi encaminhado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Apucarana, com ferimentos leves.

Horário de Verão acaba neste domingo

À zero hora deste domingo, 19 de fevereiro, termina o Horário de Verão. Os habitantes e visitantes de Santa Catarina devem atrasar o relógio em uma hora. Iniciado em 16 de outubro, o Horário de Verão (HV) teve 126 dias de duração. A implantação dessa medida evita o acúmulo de demanda simultâneo: iluminação pública, residencial, comercial e industrial. O ganho com a medida em megawats representa cerca de 10 vezes o benefício com a redução do consumo em MWh (4,8% frente 0,5%). O ONS estima uma redução na demanda de 165MW no horário de ponta noturna, entre as 18h e 21h, em Santa Catarina.

A medida altera o perfil da demanda em megawatts no período crítico e aumenta o grau de confiança do Sistema Elétrico. O gerente do Departamento de Comercialização da Celesc, Gustavo Rocha, enfatiza o ganho principal do HV. Durante a sua vigência, se reduz a demanda na hora de ponta em quase 5% no Estado. Tal fato diminui o carregamento das instalações de transmissão e, simultaneamente, oferece maior flexibilidade operativa e evita em situações de emergência.

Para o consumidor final, segundo o
 Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), há benefício econômico na tarifa, pois se posterga investimentos - que serão repassados aos usuários do Sistema - para atender o acréscimo na demanda no horário de ponta durante os meses de outubro, novembro, dezembro, janeiro e fevereiro. Segundo estimativa do ONS, durante esse período, a redução deve ser de 1.660 MW no subsistema Sudeste-Centro Oeste e 585 MW no subsistema Sul e de 165 MW em Santa Catarina.

Gustavo Rocha utiliza o exemplo de uma lâmpada para evidenciar a diferença entre demanda e consumo. Uma lâmpada de 100 W quando ligada demanda 100W de potência e quando desligada, a demanda é nula, ou seja, existem apenas duas possibilidades: ou zero ou 100W. O consumo de energia dependerá de quanto tempo a lâmpada permanece ligada. Se ficar 3 horas acesa, consumirá 300 Wh. O circuito elétrico da residência (fio condutor e disjuntor) deve estar dimensionado para atender a demanda de 100W da lâmpada, caso contrário o disjuntor desarmará ou o fio condutor sofrerá um superaquecimento, causando um curto circuito.

O tempo de uso dessa lâmpada, que é o consumo de energia, impactará a fatura de energia da residência, cobrada em R$/kWh. De forma análoga, o sistema elétrico da Celesc Distribuição (condutores, transformadores etc.) precisa estar dimensionado para atender a demanda de potência dos equipamentos utilizados nas unidades consumidoras (residências, indústria, comércio etc.). Os dados oficiais ainda não foram divulgados pelo ONS. Os números citados se referem a documento de setembro de 2016 para o HV 2016-2017, no qual já estima a curva de redução da potência nas regiões referidas do País. A tabela, a seguir, estima os dados em comparação à potência de algumas cidades catarinenses.
Dados Comparativos – 165MW*
Municípios
MW
Comparação
Nº de UCs
Florianópolis
251,2
65,7%
242.280
São José
97,9
168,6%
106.938
Palhoça
61,8
266,9%
83.452
Blumenau
199,0
82,9%
145.832
Joinville
459,2
35,9%
219.553
Lages
64,2
257,1%
66.381
Videira
46,5
354,7%
21.853
Concórdia
55,7
296,0%
33.163
Jaraguá do Sul
120,0
137,5%
67.084
Joaçaba
21,8
758,1%
13.867
Criciúma
99,4
166,1%
72.447
São Miguel d'Oeste
20,9
789,8%
18.548
Tubarão
55,5
297,4%
35.104
Rio do Sul
35,2
469,2%
28.820
Mafra
19,5
847,3%
23.758
São Bento do Sul
45,7
360,9%
32.743
Itajaí
124,8
132,2%
87.992
Chapecó
122,6
134,6%
88.170
*Comparação com a demanda de potência máxima de cada município ao longo do período do Horário de Verão.
Informações adicionais para a imprensaAssessoria de Imprensa CelescCentrais Elétricas de Santa Catarina S.A E-mail: comunica@celesc.com.brAtendimento 24h: 0800-480120Site: www.celesc.com.br

Fachin diz que foro privilegiado é “incompatível com o princípio republicano”

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato na Corte, disse hoje (17) que o foro privilegiado é “incompatível com o princípio republicano”.

“A questão do chamado foro privilegiado, que na verdade é um foro por prerrogativa de função, tem aberto um debate no Brasil sobre a coerência do que se tem entendido e praticado com o princípio republicano que está na Constituição. Eu, já de muito tempo, tenho subscrito uma visão crítica do chamado foro privilegiado, por entendê-lo incompatível com o princípio republicano, que é o programa normativo que está na base da Constituição brasileira”, disse Fachin.

Fachin disse que o Supremo precisa avaliar se uma eventual redução da abrangência do foro privilegiado pode ser feita por meio de nova interpretação da Corte sobre a Constituição ou se depende de proposta de emenda à Constituição (PEC) aprovada no Congresso. “A questão, todavia, que se coloca é saber se essa alteração pode ser feita por uma mudança de interpretação constitucional ou se ela demanda, da parte do Poder Legislativo, uma alteração própria do Poder Legislativo.”

Segundo a Constituição, no caso de infrações penais, cabe somente ao STF julgar o presidente e o vice-presidente da República, deputados federais e senadores, os próprios ministros da Corte e o procurador-geral da República. Fachin destacou, no entanto, que o Supremo deve debater em breve se a prerrogativa de foro vale também para atos ilícitos praticados antes do exercício do cargo.

“Este é o debate que o Supremo vai enfrentar para saber se há espaço para interpretação, como, por exemplo, a proposta feita no sentido de que o foro compreenderia apenas os eventuais ilícitos praticados no exercício da função e não abrangeria os ilícitos praticados anteriormente”, disse o ministro. “Na Corte, de um modo geral, tenho me inclinado por uma posição de maior contenção do tribunal”, completou.

Debate em plenário
A recente discussão sobre o foro privilegiado no Supremo foi provocada ontem (16) pelo ministro Luís Roberto Barroso, que enviou para o plenário uma ação penal na qual defende a restrição do foro privilegiado para deputados federais e senadores. Para ser julgado, o processo precisa ser pautado pela presidente do Supremo, Cármen Lúcia. Ainda não há data prevista para a análise.

No despacho enviado ao plenário, Barroso defende que detentores de foro privilegiado somente devem responder a processos criminais no STF se os fatos imputados a eles ocorrerem durante o mandato. No caso de fatos anteriores ao cargo, a competência para julgamento seria da primeira instância da Justiça.

Segundo Barroso, é preciso repensar o modelo de foro privilegiado, para reduzi-lo ou até eliminá-lo. “Em primeiro lugar, existem razões filosóficas: trata-se de uma reminiscência aristocrática, não republicana, que dá privilégio a alguns, sem um fundamento razoável. Em segundo lugar, devido a razões estruturais: Cortes constitucionais, como o STF, não foram concebidas para funcionar como juízos criminais de 1º grau, nem têm estrutura para isso”, escreveu o ministro.
Edição: Luana Lourenço

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

JOGO DO PARANÁ COM FIGUEIRA É REMARCADO PARA MARÇO

Vila Capanema será palco da disputa entre Paraná e Figueirense pela Primeira Liga. Foto: Gerson Klaina

Partida válida pela Copa da Primeira Liga teve de ser remanejada devido ao agendamento do confronto entre o Tricolor e o Bahia, válida pela Copa do Brasil

O diretor executivo da Primeira Liga, José Sabino, confirmou à Tribuna que o confronto entre Paraná e Figueirense, válido pela Copa da Primeira Liga, será no dia 2 de março, quinta-feira, às 19h15, na Vila Capanema. Inicialmente, as equipes se enfrentariam na próxima sexta-feira(24). No entanto, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) agendou para o dia 25 (sábado) a partida contra o Bahia, em mais um compromisso decisivo pela Copa do Brasil.
O diretor executivo do Paraná Clube, Rodrigo Pastana, disse que ainda não havia sido comunicado, até a metade da tarde desta sexta-feira (17) da nova data e horário, mas que de antemão aceitava. “Do nosso lado, não há problemas. Só estamos aguardando o comunicado oficial”, disse.
Antes desta partida, o Tricolor tem uma maratona de três jogos que começa neste domingo (19), às 17h, contra o PSTC, em Cornélio Procópio. Na terça (21), o Paraná pega o Tubarão no Estádio do Café. No sábado (25) é o jogo válido pela Copa do Brasil contra o Bahia, que será disputado na Vila Capanema.

Paraná começa o ano de 2017 com exportações e importações em alta

O Paraná começou o ano com crescimento tanto das exportações quanto as importações. As vendas externas cresceram 10,8% em janeiro em relação ao mesmo período do ano passado, passando de US$ 871,2 milhões para US$ 965,6 milhões. As importações, por sua vez, inverteram a tendência de queda do ano passado e voltaram a crescer, com alta de 30% em janeiro na comparação com o mesmo período do ano passado, de US$ 737,6 milhões para US$ 958,9 milhões. 

Os dados são da Secretaria de Comércio Exterior, do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC). Com isso, o saldo da balança comercial, diferença entre exportações e importações, ficou em US$ 6,76 milhões.

As importações foram impulsionadas pelas encomendas de óleos e combustíveis, adubos e fertilizantes e autopeças. “Se as importações continuarem a crescer nos próximos meses pode ser uma indicação de retomada da economia”, diz Julio Suzuki Júnior, diretor-presidente do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes). Os óleos e combustíveis, por exemplo, são usados em diversos tipos de indústrias para alimentar caldeiras e fornos, por exemplo. 

As encomendas de óleos e combustíveis somaram US$ 112,5 milhões, mais de 15 vezes superior ao volume do ano passado (US$ 7,43 milhões). As importações de adubos e fertilizantes cresceram 136,4%, de US$ 32 milhões para US$ 75,6 milhões; e de autopeças cresceram 32,1%, de US$ 54,5 milhões para US$ 57,6 milhões. 

Outro destaque foi a importação de cereais, com alta de 224,5%, de US$ 13,3 milhões para US$ 43,1 milhões e a de produtos farmacêuticos, de US$ 9,59 milhões para US$ 24,6 milhões.

FRANGO - As exportações foram impulsionadas pelo crescimento de 38% de carne de frango in natura. O setor ocupou, em janeiro, o primeiro lugar na pauta de exportações do Estado, com uma participação de 19,6%. As exportações passaram de US$ 137, 3 milhões, em janeiro de 2016, para US$ 189,5 milhões em janeiro de 2017.

O Paraná exporta frango para mais de 160 países e responde por 35% dos embarques do produto no País.

Em segundo lugar vieram as exportações de farelo de soja, com alta de 18,5%, de US$ 62,9 milhões para US$ 74,6 milhões. As vendas externas de automóveis, por sua vez, cresceram 47,5%, de US$ 30,2 milhões para US$ 44,6 milhões.

Outro destaque foi a exportação de celulose, que aumentou 370 vezes, de US$ 77,9 mil para US$ 28,9 milhões. Os embarques ganharam fôlego com o início da produção, no ano passado, da fábrica de celulose da Klabin em Ortigueira, nos Campos Gerais. 

EXPORTAÇÕES – As exportações devem contribuir para um desempenho um pouco melhor da economia do Estado em 2017. A previsão do Ipardes é que o crescimento das exportações seja maior do que no passado, quando evoluíram 1,76%. 

“E as vendas externas têm um peso na economia estadual maior do que na média do Brasil. No Paraná, elas representam 12% do Produto Interno Bruto (PIB), contra uma média de 10% no País. Ou seja, o crescimento das exportações deve ter um impacto mais positivo na economia paranaense”, diz Suzuki Júnior.

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governopr e www.pr.gov.br

"Vencemos crises e desafios que nos fizeram melhores", afirma Colombo em reunião do colegiado

Colombo destacou medidas adotadas nos últimos anos que têm reflexo agora e também para longo prazo. "Sem a reforma da previdência que deflagramos em 2015, é muito provável que não teríamos fechado as contas de 2016 com o equilíbrio que tivemos. Com a renegociação da dívida do estado com a União, uma batalha protagonizada por Santa Catarina, conseguimos o ar que precisávamos para respirar. Fizemos mudanças profundas que nos permitiram continuar em pé", avaliou.

E para manter o equilíbrio fiscal que diferencia Santa Catarina de tantos outros estados, o governador ressaltou que o mesmo empenho de todos será necessário em 2017. "Teremos mais um ano difícil, mas acredito que vencendo importantes desafios políticos no cenário nacional ainda neste primeiro semestre, conseguiremos ter uma retomada econômica a partir do segundo semestre. Em Santa Catarina, também teremos muitos desafios, mas fizemos muita coisa que nos permitem enfrentá-los de forma eficiente agora", afirmou.

O governador Colombo destacou a importância do encontro realizado em Lages como forma de integrar todas as áreas na promoção do serviço público para um atendimento cada vez melhor da sociedade catarinense. "E no atual momento, vivemos um desafio duplo, com arrecadação crescendo abaixo da inflação e a demanda por serviços aumentando, com mais gente procurando o SUS e as escolas públicas, por exemplo", acrescentou.

O vice Eduardo Pinho Moreira ressaltou a experiência do atual secretariado e a importância de uma gestão cada vez eficiente em todas as pastas. "O entusiasmo que todos demonstraram aqui é vital para o êxito da administração do Governo do Estado, percebemos a disposição em ajudar Santa Catarina a enfrentar o cenário de crise nacional para continuar sendo um estado diferenciado. Temos muitos desafios pela frente, mas temos condições de superá-los", avaliou.

A reunião do colegiado pleno foi realizada entre estas quarta e quinta, em Lages, com a participação de secretários de Estado e presidentes de empresas e autarquias do governo catarinense.

>>> Ouça o Boletim da Rádio Secom e faça o download

Balanços setoriais

Ao longo dos dois dias de reunião, cada secretário ou presidente de estatal apresentou um balanço de sua pasta e os principais projetos para 2017. Nesta quinta, por exemplo, o secretário de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, Leonel Pavan, falou sobre os bons resultados da temporada de verão e sobre a expectativa também para uma temporada de inverno muito bem sucedida neste ano. Entre as obras em andamento, destacou a construção do centro de eventos de Balneário Camboriú, com previsão para conclusão ainda em 2017. A obra vai fortalecer o turismo também fora de temporada.


O secretário de Estado da Comunicação, João Debiasi, falou sobre a presença do Governo do Estado em novos canais e nas redes sociais como forma de ampliar ainda mais a política de transparência de Santa Catarina, divulgando campanhas de comunicação de ações e serviços do governo prestados à sociedade catarinense.

Um grande ano para a Defesa Civil

A entrega de obras que farão de 2017 um ano especial para a Defesa Civil foram o destaque da apresentação do secretário da pasta, Rodrigo Moratelli. No dia 17 de março, serão inauguradas as obras de ampliação das barragens de Ituporanga e Taió, no Alto Vale do Itajaí. O secretário também ressaltou o bom andamento dos trabalhos na construção do Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres, em Florianópolis.


Ainda na área de prevenção, Moratelli afirmou que, até o final de 2017, Santa Catarina atingirá a marca de 100% de cobertura do seu território com radares meteorológicos. Para complementar o trabalho do radar de Lontras, já em atividade, será inaugurado outra unidade nos mesmos moldes em Chapecó em maio. E um terceiro radar, este móvel, será entregue para a região do Sul do estado em julho deste ano. Entre abril e setembro, também devem ser inaugurados 20 centros de operação regional e salas de situação, distribuídos em cidades estratégicas de diferentes regiões catarinenses.

O secretário Moratelli destacou, ainda, a implantação do pioneiro serviço de envio de alertas por SMS. Um projeto piloto está em andamento em 20 cidades de Santa Catarina e a previsão é de que a partir de agosto o serviço passe a ser oferecido para todo o estado.
Informações adicionais para a imprensa:
Alexandre Lenzi
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: lenzi@secom.sc.gov.br
Telefone: (48) 3665-3008 / 98843-4350Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e  @GovSC

Curitiba, Tribunal de Justiça contraria TCE e decide manter tarifa de ônibus em R$ 4,25

Foto: Divulgação/Reprodução TCE-PR

O Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) contrariou decisão do Tribunal de Contas do Estado (TCE) e decidiu manter a tarifa de ônibus em R$ 4,25 em Curitiba. A decisão atende pedido da Prefeitura, que alegou ser abusiva a decisão do conselheiro Ivan Bonilha. O mandado de segurança foi impetrado na 5.ª Câmara Cível e a decisão desta quinta-feira (16) é do desembargador Leonel Cunha.
A decisão do TJ-PR foi publicada poucas horas após os conselheiros do TCE homologarem a cautelar que suspendia o reajuste da tarifa. Com a decisão daquele momento, o valor cobrado dos usuários do transporte coletivo deveria retornar a R$ 3,70.
De acordo com a decisão de Cunha, o fato é que “a estipulação final do seu valor (tarifa do usuário) é, como dito, de competência exclusiva do Chefe do Executivo municipal, porque inclui parcela destinada à implantação e manutenção do sistema de transporte como um todo, que vai além da remuneração das concessionárias”.
A prefeitura alega que o reajuste é necessário para recompor o equilíbrio econômico-financeiro do sistema de transporte público e permite a retomada de investimentos que tragam melhorias para os passageiros.
Notícia Relacionada: