sábado, 15 de dezembro de 2018

Paraná garante duplicação de 100 km de rodovias estaduais

Com mais de R$ 650 milhões em investimentos, o Governo do Paraná garante a duplicação de 100 quilômetros (km) de rodovias estaduais (PRs). As obras e projetos concluídos, iniciados e encaminhados para licitação desde abril de 2018 permitirão dobrar a atual extensão de pistas duplas no sistema rodoviário estadual sob responsabilidade do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR). “Investimos fortemente na ampliação de capacidade da nossa malha rodoviária, eliminando pontos críticos de congestionamentos e acidentes”, afirma a governadora Cida Borghetti. “Atendemos demandas antigas dos paranaenses para desafogar as estradas mais movimentadas”, acrescenta. Desde que Cida assumiu o Governo do Estado, foram finalizados 14 km de duplicação e iniciados 47,9 km de obras. Há ainda uma intervenção de 4,7 km que espera uma decisão judicial para o começo dos trabalhos. Entre projetos e obras com editais de licitação lançados ou em preparação, são mais 33,4 km. “Com as ações realizadas na gestão Cida Borghetti, estamos garantindo a duplicação de todas as ligações entre Curitiba e os municípios da região metropolitana”, destaca o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Abelardo Lupion. Obras e projetos por região: CURITIBA - Em maio, a governadora autorizou a retomada da duplicação do trecho de 6,2 km da Rodovia da Uva (PR-417), conhecido como Lote 2, entre o Contorno Norte de Curitiba e a Rua Orlando Ceccon, em Colombo. O investimento é de R$ 32 milhões. Em novembro, o DER-PR publicou o edital de licitação para contratação do projeto para duplicação do Lote 1. São mais 4,2 km, entre o bairro Santa Cândida e o Contorno Norte. Com teto de R$ 1,7 milhão, as propostas serão abertas no dia 15 de janeiro de 2019. Ainda na Região Metropolitana de Curitiba, o investimento na revitalização e duplicação dos 14 km da Rodovia João Leopoldo Jacomel (PR-415), principal ligação entre a capital, Pinhais e Piraquara, totaliza R$ 250,7 milhões. Já a duplicação de 4,7 km da Rodovia dos Minérios (PR-092) entre a ponte do Rio Barigui e o perímetro urbano de Almirante Tamandaré aguarda desfecho da ação judicial movida por uma das licitantes após a homologação, em abril. Além disso, o DER-PR analisa o projeto para licitar a obra de mais 1,2 km na PR-092, estimada em R$ 45 milhões. LONDRINA – O Estado investe R$ 93,4 milhões na duplicação dos 15,2 km entre Londrina e o distrito de Irerê. A obra começou no final de junho e está na fase de terraplanagem e drenagem. Estão sendo lançadas vigas para as pontes em construção nas marginais. GUARAPUAVA – A duplicação de 3,4 km da PR-466 no perímetro urbano da cidade recebe aporte de R$ 26,9 milhões. Iniciada no fim de abril, está na fase de pavimentação. Já ficou pronta a trincheira de acesso à Cidade dos Lagos e estão em execução duas marginais. MARINGÁ – No final de novembro, começou a duplicação da PR-323, entre Paiçandu e Doutor Camargo, com extensão de 20,7 km. Esta licitação foi autorizada pela governadora em maio. A obra de R$ 73,2 milhões está na fase de limpeza e drenagem. Em setembro, Cida Borghetti recebeu da Associação Comercial e Empresarial de Maringá (ACIM) a doação do anteprojeto para duplicar os 21 km da PR-317 até Iguaraçu, que terá projeto e obra licitados via RDCI (Regime Diferenciado de Contratação Integrado). LITORAL – Em julho, foi lançado o edital para duplicação de 2,4 km da Avenida Juscelino Kubitscheck de Oliveira e readequação do canal de macrodrenagem. O contrato com a vencedora da licitação já está assinado, no valor de R$ 34,5 milhões. PONTA GROSSA – O DER-PR prepara o edital para contratar o projeto de ampliação de capacidade da PR-151 entre Ponta Grossa e Palmeira, que inclui a duplicação de 7 km entre a BR-376 e a PR-438. Com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o custo previsto é de R$ 4,7 milhões. AEN

Governador eleito anuncia mais um nome nesta sexta-feira

No início da noite desta sexta-feira, 14, o governador eleito, Moisés, anunciou mais um nome para compor a nova estrutura do Governo do Estado. Maria Elisa da Silveira de Caro será a secretária de Estado do Desenvolvimento Social, secretaria que antes era chamada de Secretaria de Estado da Assistência Social. Maria Elisa é graduada em Economia e Mestre em Sociologia Política, pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Tem experiência na área de Sociologia, além de atuação como diretora de Formação e Capacitação Profissional, gerente de projetos e consultora técnica de gabinete, na Secretaria de Estado da Segurança Pública. Atuou também como secretária adjunta, na Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania. Teve atuação também nos Conselhos Estaduais de Assistência Social; do Idoso SC (CEI); dos Povos Indígenas SC (CEPIN); Igualdade Racial (CEPA) e também dos Direitos da Pessoa Portadora de Deficiência SC (CONEDE). Equipe de Transição Coordenador de Comunicação: Flávio Graff Contato: (48)99146-2247

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Futuro Governo do Estado terá comunicação mais acessível e inclusiva

Na manhã desta quinta-feira, 13, o governador eleito Carlos Moisés e a vice-governadora eleita Daniela Reinehr receberam a intérprete de Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) e membro da Comissão de Acessibilidade da OAB Tubarão, Luciellen Lima, para uma conversa sobre a inclusão de pessoas surdas nas comunicações oficiais do governo. Junto com o futuro secretário de Comunicação, Ricardo Dias, foi apresentado um projeto para que as comunicações e publicidades sejam feitas também com tradução para LIBRAS. “É um direito que está sendo ignorado há muito tempo, porque a legislação é antiga, mas os surdos têm o direito de ter acesso à informação na língua deles, então todo e qualquer tipo de informação deve ser passada na língua de sinais. Este projeto, apresentado hoje, fala não só disso, mas começa por isso, com um novo olhar para a questão”, explica Luciellen. A foto do encontro teve o símbolo universal da frase “Amo você”, na língua de sinais. iquipe de Transição Coordenador de Comunicação: Flávio Graff Contato: (48) 99146-2247

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Apresentação da Orquestra Sinfônica de Santa Catarina

Nesta quinta feira a orquestra sinfônica de Santa Catarina apresentou se no palco da avenida beira mar III na Continuação da programação de um toque de natal promovido pela secretaria da cultura e turismo da prefeitura de Itapoá.

Em 12 dias de dezembro, 14 criminosos foram mortos pela Brigada Militar

Em Ibiraiaras, seis criminosos foram mortos em mata após confronto Diogo Zanatta / Especial A morte de 14 criminosos nos 12 primeiros dias de dezembro fez a Brigada Militar superar a média mensal do ano de óbitos de civis em confrontos. Segundo dados da Secretaria da Segurança Pública (SSP), foram 63 registros de janeiro a junho deste ano, o que representa 10,5 mortes por mês. Em todo o 2017, foram 92 óbitos, o que significa 7,6 casos mensais. Na comparação entre o primeiro semestre deste ano com mesmo período do ano passado, o aumento é de 31,25% nos registros — de 48 para 63. Por outro lado, houve queda de 11% no número de civis feridos em ocorrências, de 119 para 106. https://gauchazh.clicrbs.com.br/seguranca/noticia/2018/12/em-12-dias-de-dezembro-14-criminosos-foram-mortos-pela-brigada-militar-cjpmt639c0l5301rxnw5yra2y.html?fbclid=IwAR3PS2IRMfljo9Fx0HWdXQA54sY3o7F2LHQcmG0bQy0TzE2VMDIZITesA08

Balão quase causa tragédia ao cair em cima de distribuidora de combustíveis

Queda de balão causou medo em motoristas de caminhões-tanque estacionados perto da distribuidora de combustíveis em Araucária. Foto: Divulgação/Guarda Municipal de Araucária A queda de um balão por pouco não causou uma tragédia em Araucária, na região metropolitana de Curitiba, na última terça-feira (11). O balão de grande porte caiu muito próximo de dez caminhões-tanque estacionados em frente à distribuidora de combustíveis Raízen, vizinha da Repar, a refinaria da Petrobras. A queda provocou um princípio de incêndio com o balão enroscado na rede de energia elétrica e só não causou uma tragédia pela atuação rápida da brigada de incêndio da distribuidora de combustíveis. A Companhia Paranaense de Energia (Copel) foi chamada para interromper a distribuição de energia no local e evitar o risco de explosões. Mesmo assim, o contato do balão com os fios de alta tensão causou um princípio de incêndio. Como a própria brigada da empresa controlou o incêndio, o Corpo de Bombeiros não precisou deslocar nenhuma equipe para o local. Quatro homens foram detidos na ocorrência pela Guarda Municipal de Araucária. Eles aguardavam a queda do balão – grupos baloeiros costumam acompanhar os voos para recuperar os balões quando caem. Os quatro foram detidos em flagrante por desacato e por tráfico de influência: um deles ameaçou um dos guardas dizendo que era amigo de um deputado. Fabricar, vender, transportar e soltar balões é crime. A pena para quem é flagrado pode chegar a três anos de prisão, além de multa. https://www.tribunapr.com.br/noticias/curitiba-regiao/queda-de-balao-quase-causa-tragedia-na-grande-curitiba/

Governadora sanciona lei de criação de pássaros nativos

O Paraná já conta com uma política de gestão de pássaros da fauna nativa. A governadora Cida Borghetti sancionou a lei que trata da criação amadora e profissional no Estado. Proposta por vários deputados estaduais, a nova lei lista as 61 espécies da fauna silvestre brasileira que poderão ser criadas e comercializadas e começará a valer em 60 dias. “O objetivo da política de gestão de pássaros é proteger, preservar e repovoar as espécies”, destacou a governadora. O Brasil possui pouco mais de 1.900 aves cadastradas e, destas, 173 estão ameaçadas de extinção. O último levantamento realizado pelo IAP, em 2004, aponta 167 espécies em risco no Estado. “A lei vai ajudar na preservação, já que com uma política de manejo adequada será possível reproduzir as aves”, afirmou Cida. COOPERAÇÃO - A própria legislação prevê o uso de programas criados ou mantidos pelo IAP, que poderá firmar acordos de cooperação técnica com as universidades estaduais e outros órgãos para promover o repovoamento das espécies criadas em ambiente doméstico. A sanção da lei foi acompanhada pelo presidente da Federação dos Criadores de Pássaros do Estado do Paraná, Miguel Tanamati, que comemorou. “Esta conquista é resultado de muito trabalho da Federação e é dedicada a todos os criadores sérios do Estado”, disse. CRITÉRIOS - A nova política de gestão de pássaros estabelece critérios para criação, reprodução, comercialização, manutenção, treinamento, exposição e transporte, entre outras atividades. Também distingue a criação amadora e comercial e estabelece categorias e procedimentos de licença. De acordo com o texto, o controle das espécies em cativeiro será feito por um sistema de identificação individual, obrigatório, registrado e homologado pelo órgão ambiental estadual ou federal. ORIENTAR - A lei também determina que a fiscalização dos criadores seja prioritariamente orientadora. Ou seja, quando a infração for pequena e não trouxer risco à vida do animal, o fiscal deverá apenas orientar a solução para o problema. Se não houver correção no prazo de 30 dias ou se houver repetição do problema, o criador será autuado e receberá sanções administrativas. GRAVES - Já em caso de grave ilegalidade, quando o pássaro não tiver origem legal ou quando constatada falsificação de documentos, maus-tratos ou tráfico de animais silvestres, além das sanções normais, as atividades do criador serão imediatamente embargadas. AEN

Royalties do petróleo: ministro do Supremo vota favorável a Santa Catarina

Foto: Carlos Moura/SCO/STF O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, votou favorável à tese de Santa Catarina durante o julgamento, nesta quarta-feira, 12, da ação ajuizada pelo Estado que questiona a definição da área marítima para fins de pagamento de royalties do petróleo. Ele concordou totalmente com a Procuradoria Geral do Estado (PGE) de Santa Catarina ao afirmar que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) usou um critério ilegal na demarcação dos limites marítimos, o que beneficiou o Paraná em prejuízo dos catarinenses. O julgamento da ação, entretanto, foi suspenso pelo pedido de vista do ministro Alexandre de Moraes. Em junho, o ministro Luís Roberto Barroso já havia votado pela procedência parcial da ação contra o IBGE, Paraná e São Paulo. Naquela oportunidade, foi Marco Aurélio quem pediu vista. No seu voto, nesta quarta-feira , Mello afirmou que os técnicos do Instituto adotaram uma solução alternativa, sem nenhum amparo legal, elegendo um método diverso à lei. Isso porque as linhas que definem o ‘mar paranaense’ se cruzam antes da plataforma marítima continental, formando uma área de sobreposição. Em vez de seguir esse critério, o IBGE traçou uma linha perpendicular até as 200 milhas, abandonando a legislação. Confira o vídeo institucional sobre o tema: Assim, após uma leitura do voto de cerca de uma hora, ele determinou que o órgão refaça a delimitação marítima dos estados para fins de distribuição dos royalties e condenou São Paulo e Paraná a ressarcir Santa Catarina pelos recursos recebidos indevidamente em valores a serem apurados na execução da sentença. Ao mesmo tempo, condenou ambos estados e o IBGE a reembolsarem Santa Catarina pelos gastos com honorários periciais e advocatícios. Após o voto de Marco Aurélio, o ministro Barroso pediu a palavra e, depois de justificar o seu voto em junho, elogiou o trabalho dos procuradores catarinenses. “Deve ser registrado que Santa Catarina pleiteou seu direito com obstinação e competência”. Acompanharam o julgamento no plenário do STF, os procuradores do Estado Gian Marco Nercolini e Weber Luiz de Oliveira. A retomada do julgamento ainda não tem data marcada. Informações adicionais para a imprensa Billy Culleton Assessoria de Imprensa Procuradoria Geral do Estado - PGE E-mail: billyculleton@gmail.com Fone: (48) 3664-7650 / 98843-2430 Site: www.pge.sc.gov.br

terça-feira, 11 de dezembro de 2018

Confraternização do Grupo Amigos da Barra Futebol Clube


Neste domingo foi realizado uma festa de Confraternizaçã do grupo amigos da barra futebol clube na chácara do vereador Ezequiel Andrades com a presença de todos os associados e familiares, a festa teve musica ao vivo com a dupla Aristides e Xavier e Convidados o evento estendeu se o dia todo com aquele almoço a base de churrasco e muito chopp gelado,









EZEQUIEL O ANFETRIÃO
ESSE CARA SOU EU

SETOR AQUAVIÁRIO VÊ COM CAUTELA PROPOSTA DE FUSÃO DAS AGÊNCIAS REGULADORAS DE TRANSPORTES

Agentes do setor aquaviário acreditam que a ideia de fusão das agências reguladoras do setor de transportes ainda é especulação e dependeria de uma série de fatores para ser concebida. Um deles é a aprovação no Congresso, já que precisaria de alterações na legislação. Segundo reportagem publicada pelo Estadão nesta quinta-feira (6), o governo estuda a criação de uma agência nacional de transportes com objetivo de destravar licitações no setor de infraestrutura e acabar com indicações políticas nas autarquias. A nova agência reuniria Antaq (transportes aquaviários), ANTT (transportes terrestres) e Anac (Aviação Civil). A criação de uma agência nacional de transportes já foi discutida durante a elaboração da Lei 10.233/2001, que reestruturou os transportes aquaviário e terrestre, criou o Conselho Nacional de Integração de Políticas de Transporte (Conit), Antaq, ANTT e o DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes).
Na época, foi feito o desmembramento porque o governo avaliou que cada segmento do transporte possui muitas especificidades. O presidente do Sindicato Nacional das Empresas de Navegação Marítima (Syndarma), Bruno Lima Rocha, lembra que, no início dos anos 2000, as empresas de navegação lutaram pela criação de uma agência de transportes dedicada aos assuntos aquaviários. “Nosso medo que se repete agora é que, como o transporte rodoviário é muito grande e dono da matriz de transportes do Brasil, essa agência única venha a dar ouvidos, cuidar e discutir o rodoviário e ferroviário e assuntos aquaviários fiquem relegados a um segundo plano”, analisou.
Numa primeira análise, o Syndarma não vê efeitos imediatos e diminuição da influência política em caso de concentração das atividades em uma agência única. A vantagem, segundo Lima Rocha, é que menos agentes e mais servidores de carreira talvez pudessem, teoricamente, diminuir o número de indicações por parte dos partidos. Ele acredita que, se houver cuidado da indicação em todas as agências, esse controle ocorrerá sem necessidade de fusão. As empresas brasileiras de navegação ponderam que, havendo essa necessidade, a agência de transportes deveria ter uma diretoria para cada segmento e interlocutores com conhecimento de cada área. “Seria preciso criar diretorias, senão o aquaviário morre sufocado pelo rodoviário”, afirmou Rocha.

Lava Jato nas ruas do Rio. Polícia Federal cumpre mandados em endereços ligados a Aécio Neves e Andréa Neves


A Polícia Federal está cumprindo mandados de busca e apreensão em vários endereços no Rio de Janeiro na manhã desta terça-feira, 11. Entre os alvos da nova fase da Operação Lava Jato autorizada pelo Supremo Tribunal Federal, estão o senador Aécio Neves e sua irmã, Andréa Nevez.

A operação está baseada em trechos de A procura de documentos faz parte de operação baseada em delações de Joesley Batista e Ricardo Saud. Os executivos do grupo J&F relataram repasse de propina de quase R$ 110 milhões ao senador.

Neste momento, agentes estão em prédio de luxo na Avenida Vieira Souto, em Ipanema, onde o senador e deputado federal eleito tem residência. Equipe também está em um imóvel em Copacabana, que seria de sua irmã, Andréa Neves. Agentes da PF também cumprem mandados na casa do senador Aécio Neves em Belo Horizonte. A Operação faz parte do inquérito do STF de número 4519.

Ao todo, São nove mandados de busca e apreensão no Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. Aécio é investigado pela prática de crimes de corrupção. A PF tem ainda como alvo a deputada Cristiane Brasil, no Rio. Em São Paulo, o alvo é Paulinho da Força.

https://www.imprensaviva.com/2018/12/lava-jato-nas-ruas-do-rio-policia.html?fbclid=IwAR0NvFzIfFq_r4NaEqsKGqRvTY1T17XS8aPEQAmwrl9pAbPAXyhhO0FXJjY

Paraná Clube tentará repetir feitos históricos de 2017

No ano passado, diretoria fez "milagre" com folha salarial baixa. Foto: Arquivo.

O objetivo do Paraná Clube na próxima temporada será repetir os acertos conquistados em 2017. Ainda que não tenha vencido nenhuma competição naquele período, foi um ano que deixou um saldo positivo ao Tricolor. O time foi longe na Copa do Brasil, vendendo caro a eliminação para o Atlético-MG nas oitavas de final – somando uma boa quantia aos cofres do clube pela trajetória -, e coroou aquela fase com a conquista do acesso à Série A do Campeonato Brasileiro. E para atingir resultados iguais a esses em 2019, o foco é ter estratégias semelhantes.
Sem fazer nenhuma loucura financeira, um primeiro passo será apostar em jogadores com baixos salários e que possam vir para brilhar. Em 2017, com uma folha salarial de aproximadamente R$ 460 mil, a estratégia deu certo. A aposta foi trazer à equipe jogadores que estavam esquecidos em outros clubes e que aceitaram o desafio de mostrar seu valor com a camisa azul, vermelha e branca. Foi o caso do zagueiro Maidana, deixado de lado pelo São Paulo por questões pessoais, do meia João Pedro, que não tinha lugar no Atlético, e até mesmo do volante Alex Santana, que não estava sendo aproveitado pelo Internacional. Os três foram peças extremamente importantes na campanha paranista.
Portanto, o novo executivo de futebol do clube, Mario André Mazzuco, terá que ser assertivo nas contratações. Vale destacar que o projeto atual do departamento de futebol do Paraná Clube prevê escolhas definidas em grupo. Mazzuco terá ao seu lado o gerente Marcos Oliveira, o técnico Dado Cavalcanti e o auxiliar Lúcio Flávio. Diferentemente do que aconteceu quando Rodrigo Pastana era o nome forte do Tricolor – e tinha todas as palavras finais – agora o crivo das contratações passa por esses nomes. A mudança foi feita pelo presidente Leonardo Oliveira após o fracasso de Pastana em 2018, que mesmo com a verba de cerca de R$ 1,5 milhão mensais, conseguiu trazer muitas peças, sendo pouquíssimas delas – ou quase nenhuma – decisiva para o time.
Para evitar novas aquisições “em massa” para o elenco do ano que vem, o Paraná também deve apostar na base. Esta será um segundo passo a ser tomado. Em 2017, o volante Leandro Vilela foi o “piá da Vila” que conseguiu brilhar naquela equipe e até por isso permaneceu no elenco. Ainda que nesta temporada ele não tenha tido o mesmo desempenho, deve estar entre os titulares no ano que vem, assim como alguns outros garotos. A aposta em “soluções caseiras” deve acontecer, com a presença do zagueiro Paulo Fales, do volante Jhony, do meia Alesson e dos atacantes Andrey, Keslley e Rodrigo Carioca. Entre esses, o mais certo a começar entre os titulares é Andrey.
A missão de repetir um ano inesquecível, que acabou com o sofrimento de uma década do time na Série B, não é tão simples como parece, mas é possível. Será necessário deixar de lado todos os tropeços e as mágoas do total fracasso que foi 2018 e, principalmente saber aprender com os erros. O Paraná Clube precisa agora mirar nos acertos. Exemplos de ambas as situações estão aí, vivas para serem lembradas. Resta ao Tricolor se espelhar no que deu certo para, assim, ter uma nova conquista a ser comemorada.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

FINAL DO CAMPEONATO DE FUTEBOL VETERANOS

Decisão final do campeonato de futebol de veteranos. com uma unica partida já que as equipe que disputariam o terceiro lugar não aconteceu, seria entre Marumbi contra Beira Rio, pois a equipe do Beira Rio não compareceu para jogar sendo foi executado  W  0 com o marumbi dando saida de bola ficando com o terceiro lugar.

A partida que decidio o titulo entre as equipes  do Barra versos Liberdade, com arbitrage de Ivan Preuss  Liga Joinvillense de Futebol auxiliado por Edemilson Batista da F C F e Gilmar Furtado da Liga Joinvillense de Futebol, 4º arbitro Joelso Borges, mesario Eduardo Santos.
No tempo normal empate de 1 a 1, decisão foi para os penalti .

Barra $ X 2 Liberdade barra campeão, Liberdade vice campeão.








Bolsonaro promete governar 'sem distinção de origem, raça, sexo, cor ou religião'

Jair Bolsonaro recebe diploma de presidente eleito da presidente do TSE, Rosa Weber Foto: Daniel Marenco / Agência O Globo

BRASÍLIA — Na cerimônia dediplomação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o presidente eleitoJair Bolsonaro (PSL) disse em discurso que, a partir de 1o de janeiro, será o governante de todos os brasileiros, e não só de seus eleitores. Ele ressaltou que, em sua gestão, não haverá distinção de sexo, raça ou religião. Bolsonaro também pediu o apoio de seus opositores na construção de um futuro melhor.

— Agradeço muito especialmente aos mais de 57 milhões de brasileiros que me honraram com seu voto. Aos que não me apoiaram, peço sua confiança para construirmos juntos um futuro melhor para o nosso país. A partir de 1o de janeiro, serei o presidente dos 210 milhões de brasileiros. Governarei em benefício de todos, sem distinção de origem racial, raça, sexo, cor, idade ou religião — disse Bolsonaro.

Bolsonaro e o vice-presidente eleito Hamilton Mourão receberam o diploma eleitoral, documento que atesta que o vencedor da eleição cumpriu todas as exigências necessárias para tomar posse, como, por exemplo, o julgamento das contas de campanha.

Ele também afirmou que o recado das urnas foi claro no sentido de mudança. Sem citar nomes, ele criticou antigas práticas de corrupção.
— Os desejos de mudança foram expressos de forma clara nas eleições. A população quer paz e prosperidade. Nossa gente é trabalhadora, constituída por homens e mulheres, por mães e pais que criam seus filhos com suor e dedicação. Gente que não mede esforço para obter o sustento de seus familiares. Gente que precisa de um governo que garanta condições adequadas para desenvolver seu potencial com liberdade e criatividade. A construção de uma nação mais justa e desenvolvida requer uma ruptura com práticas que, historicamente, retardaram o nosso progresso. Não mais a corrupção, não mais a violência, não mais as mentiras, não mais manipulação ideológica, não mais submissão do nosso destino a interesses alheios — declarou
Apesar de ter criticado o sistema eleitoral ao longo da campanha, o presidente eleito elogiou, no discurso, o trabalho da Justiça Eleitoral. Ele disse que esse trabalho deve ser um exemplo da união necessária no Brasil neste momento.
— Somos uma das maiores democracias do mundo. Cento e vinte milhões de brasileiros compareceram às urnas de forma pacifica e ordeira. Respondemos ao dever cívico do voto com serenidade e responsabilidade. Nós brasileiros devemos nos orgulhar dessa conquista. Em momento de profundas incertezas em varias partes do globo, somos um exemplo de que a transformação pelo voto popular é possível — declarou o presidente eleito.
Bolsonaro também ressaltou que a tecnologia propicia hoje que governantes se comuniquem com a população sem intermediários. Ao invés de dar entrevistas, o presidente eleito tem como prática fazer anúncios em redes sociais - como, por exemplo, dos integrantes escolhidos para sua equipe. Ele também afirmou que, em seu governo, a prioridade será a geração de emprego e o combate à violência.
— Vivenciamos um novo tempo. As eleições de outubro revelaram uma realidade distinta das práticas do passado. O poder popular não precisa mais de intermediação. As novas tecnologias permitiram uma relação direta entre eleitor e seus representantes. Nesse novo ambiente, a crença na liberdade é a melhor garantida respeito dos ideais que balizam a nossa Constituição — declarou.
Ele também afirmou que, em seu governo, a prioridade será a geração de emprego e o combate à violência.

Defesa da democracia

A presidente do TSE, ministra Rosa Weber, também discursou na cerimônia. Primeiro, ela lembrou que nesta segunda-feira se comemora o Dia Mundial dos Direitos Humanos.
— Em um país de tantas desigualdades como o nosso, refletir sobre a Declaração de Direitos Humanos não é mero exercício teórico, mas uma necessidade a que todos se impõe, governantes e governados — declarou.
Ela também criticou o pensamento único e enfatizou que a democracia deve ser palco da convivência de opostos.
— A democracia é exercício constante de diálogo e de tolerância, de respeito à diferença — declarou, completando que não se pode “abafar grupos minoritários, muito menos tolher direitos constitucionalmente conquistados”.
Também no discurso, a ministra lembrou que neste ano se comemora os 30 anos da Constituição Federal e cobrou o cumprimento da Carta na íntegra por parte do futuro presidente da República.
 Por isso, senhor presidente eleito, de inegável relevo o compromisso de que o respeito incondicional à supremacia da Constituição Federal será o norte do governo de vossa excelência — disse a ministra.
Nas redes sociais, deputadas eleitas aliadas de Bolsonaro criticaram o discurso da presidente do TSE por causa do tema e da duração.
Quando entrou no plenário do TSE, Bolsonaro foi efusivamente aplaudido pela plateia. Em retribuição, fez um sinal de continência militar para a plateia. Em seguida, a banda dos Fuzileiros Navais de Brasília executaram o Hino Nacional, que o futuro presidente acompanhou com a mão no peito.
O ministro Admar Gonzaga Neto chamou a atenção por ficar de costas ao público durante o hino . Admar voltou-se para a bandeira nacional, hasteada no plenário do tribunal. O gesto solitário logo fez o ministro ficar entre os assuntos mais comentados nas redes sociais.

Quebra de protocolo

Quando recebeu o diploma eleitoral, Bolsonaro puxou Rosa Weber para posar para as fotos com ele, em um gesto que rompeu o protocolo da cerimônia. Além de ministros do TSE, estavam presentes outros integrantes do Judiciário, parlamentares e a procuradora-geral da República, Raquel Dodge. Também marcaram presença muitos militares fardados - uma cena pouco usual para o plenário da Corte.
Bolsonaro teve suas contas de campanha aprovadas com ressalvas na terça-feira da semana passada. O relator, ministro Luís Roberto Barroso, seguiu parecer da área técnica do tribunal, que apontou inconsistências na prestação de contas, mas não a ponto de comprometer a regularidade das contas e da disputa eleitoral. Bolsonaro informou ter arrecado mais de R$ 4,39 milhões, e o TSE determinou a devolução aos cofres públicos de doações irregulares no valor de R$ 8,2 mil.
No julgamento, Barroso, que foi seguido pelos demais integrantes do TSE, destacou que os valores irregulares representam apenas 0,19% do total, sendo, portanto, de pouquíssima relevância, e não havendo qualquer evidência de má-fé. O ministro ressaltou inclusive que a campanha de Bolsonaro, mais barata que a de outros candidatos, demonstrou ser possível participar das eleições “mediante mobilização da cidadania e não do capital".

domingo, 9 de dezembro de 2018

Grupo Amigos da Barra Futebol Clube realizaram Noite do Amigo Secreto


Nesta sexta feira o grupo amigos da Barra futebol clube realizaram a entrega de presente dos amigos secretos nas dependências do Bar do Zé Antonio antigo Kojak na Barra do Sai. O grupo amigos da Barra se Reúnem todas as segundas feiras na arena Itapema a partir das 21 horas para uma partida de futebol  suiço depois rola um churrasco regado a cerveja bem gelada, em uma confraternização junto com as familias.
O ANFETRIÃO ZÉ ANTONIO BATISTA





Seis pessoas morrem e três ficam feridas em acidente entre dois carros, em Candói

Seis pessoas morreram e três ficaram feridas em acidente em Candói — Foto: Divulgação/PRF

Seis pessoas morreram e três ficaram feridas em um acidente entre dois carros na BR-373 na manhã deste domingo (9), em Candói, na região central do Paraná, de acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Os dois veículos bateram de frente no km 409. Todas as três pessoas que estavam em um dos carros e o motorista do outro veículo morreram na hora, segundo a PRF.
Uma mulher, de 21 anos, morreu na ambulância e outra, de 18 anos, morreu no hospital. Outras três mulheres estão internadas, uma delas com ferimentos graves.
De acordo com a PRF, a estrada está em obras de recapeamento do asfalto no local do acidente, e a pista está sem a sinalização horizontal que indica a divisão das pistas.

sábado, 8 de dezembro de 2018

PORTOS DO PARANÁ TÊM RECORDE DE INVESTIMENTOS E OBRAS

Nos últimos anos, a Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) realizou o maior conjunto de obras da sua história. Entre 2011 e 2018, foram mais de R$ 940 milhões em investimentos públicos, em infraestrutura marítima e terrestre. No período foram realizados, também, R$2,2 bilhões em investimentos privados.
Apenas durante a gestão da governadora Cida Borghetti, neste ano de 2018, a APPA anunciou mais R$663 milhões em investimentos, que serão aplicados na melhoria da infraestrutura portuária até 2020.
“Estamos pensando os nossos portos para as próximas décadas. Com esta estratégia, o Governo do Estado assumiu o papel de repotencializar os portos de Paranaguá e Antonina, tornando-os novamente competitivos no mercado nacional e internacional. E assim fizemos”, declarou o diretor-presidente da Appa, Lourenço Fregonese.
OBRAS EM ANDAMENTO – Em 2018 foram iniciadas as obras de revitalização da Avenida Bento Rocha, uma obra de R$ 15,9 milhões que vai reformar a principal via de acesso ao Porto de Paranaguá.
Também foi feita a licitação da obra de dragagem de manutenção continuada para os próximos cinco anos, que garantirá a manutenção da profundidade de canal atingida com a recente dragagem.
Além de permitir que os maiores navios que fazem o transporte internacional de cargas possam acessar ao porto, a obra vai contar com a inédita iniciativa de janelas ambientais, que são períodos sem intervenção da dragagem que respeitam os ciclos de reprodução marinha da fauna que vive na baía. O investimento da obra será de mais de R$ 470 milhões.
CAIS OESTE – Em julho deste ano, a governadora Cida Borghetti esteve em Paranaguá e assinou a ordem de serviço para início das obras no cais Oeste do Porto de Paranaguá. O investimento de R$ 177,58 milhões abrange modernização dos berços de atracação 201 e 202 e de ampliação do berço 201.
A obra vai triplicar a movimentação de cargas no local, passando dos atuais 2 milhões de toneladas, para 6,5 milhões de toneladas anuais. Também já estão previstos outros R$ 60 milhões para a construção de quatro trincheiras rodoviárias em Paranaguá.
OBRAS ENTREGUES – Com as obras iniciadas neste ano, é possível dizer que a Appa cumpriu 100% do que foi proposto no Plano de Desenvolvimento e Zoneamento do Porto de Paranaguá (PDZPO), lançado em 2012, após debate com o setor produtivo e comunidade portuária.
Foram entregues nesta gestão, obras como a instalação de novas defensas (estrutura que protege o casco do navio no cais), a expansão do sistema de segurança, novas portarias e balanças, novo prédio administrativo, o Centro de Proteção Ambiental das Baías de Paranaguá e Antonina, a reforma do cais, readequação do Sistema de Combate a Incêndios, ampliação do sistema de descarga de granéis sólidos no silo público com os novos tombadores e balanças rodoviárias.
Também foi feita a troca de quatro carregadores de navios, que aumentou em 33% a produtividade do Corredor de Exportação do Porto, a demolição de armazéns na faixa portuária, novas guaritas de acesso ao Pátio de Triagem de Caminhões, novo layout operacional do cais e um novo berço exclusivo para veículos, máquinas e equipamentos.
RECORDES – Os investimentos fizeram com que o Porto de Paranaguá atingisse um novo patamar de movimentação. As filas de caminhões nunca mais foram vistas e, em 2017, pela primeira vez em toda a sua história, o porto ultrapassou a marca das 50 milhões de toneladas movimentadas.
Desde 2011, o Corredor de Exportação do Porto já registrou 45% de aumento no volume movimentado e ano passado bateu seu recorde de movimentação anual, com 17 milhões de toneladas de grãos escoados. Com isso, as cargas voltaram a sair pelo Porto de Paranaguá e mais de 80% da produção de grãos das cooperativas são exportadas pelo porto.
Ao longo dos últimos anos, foram registrados 50 recordes históricos no Porto de Paranaguá. Ao todo, 17 marcas históricas foram batidas ao longo de 2017: operação diária, semestral e anual de soja e de veículos; volumes de graneis sólidos, líquidos e carga geral; fluxo de caminhões no pátio de triagem. Na operação quase todos os produtos movimentados pelo porto obtiveram recordes de movimentação, dinamizando e impulsionando a economia do Paraná.
O volume de movimentações foi bem acima da média brasileira. Enquanto as exportações de produtos no Brasil inteiro tiveram crescimento médio de 7,2% em relação a 2016, de acordo com dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, as exportações pelo Porto de Paranaguá cresceram 17%. “Este incremento é resultado de tudo que foi feito na infraestrutura terrestre, aliado ao que evoluiu na estrutura marítima, representada pelas campanhas de dragagem”, avalia o diretor de Operações do Porto de Paranaguá, Luiz Teixeira Junior.
INVESTIMENTOS PRIVADOS – Os investimentos públicos alavancaram os investimentos privados no Porto de Paranaguá. Entre os investimentos estão R$ 1,4 bilhão em novos Terminais de Uso Privado, R$ 1,2 bilhão em arrendamentos do Programa de Investimentos em Logística (PIL), R$ 960 milhões em renovações antecipadas de áreas, R$ 820 milhões em contratos de passagem e R$ 700 milhões em rearrendamentos de áreas públicas ocupadas.
Fonte: O Paraná

Benefícios fiscais passam a depender de aprovação da Assembleia

Primeiro projeto de lei sobre convênio de ICMS trata da venda de suínos vivos. FOTO: Arquivo/Agência AL
A concessão de benefícios fiscais de ICMS deverá ter aprovação da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, por meio de projeto de lei específico. A medida é resultado de uma decisão do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC), que considerou inconstitucional o parágrafo único do artigo 99 da lei estadual do ICMS (Lei 10.297/1996).
A decisão consta em Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) movida pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) junto ao Poder Judiciário estadual, em janeiro do ano passado. Em novembro de 2017, o TJSC julgou, por unanimidade, procedente a ação do MPSC.
Conforme o relator da ação, desembargador Cid Goulart, o parágrafo único do artigo 99 da lei estadual sobre o ICMS permitia a homologação tácita dos convênios celebrados entre o governo catarinense, no âmbito do Comitê de Política Fazendária (Confaz). O texto da lei abria a possibilidade da regulamentação dos convênios por decreto do Poder Executivo, sem participação da Assembleia Legislativa. A Constituição Estadual, no entanto, determina em seu artigo 131 que esses convênios só podem produzir efeitos após a homologação dos deputados estaduais.
A decisão do Poder Judiciário catarinense é de 22 de novembro de 2017. Portanto, todos os convênios que envolvam concessão ou revogação a partir desta data deverão ter lei específica aprovada pelo Poder Legislativo estadual, e não apenas mais a celebração do convênio pelo Executivo. Os convênios celebrados antes de 22 de novembro de 2017 não necessitam de aprovação de lei específica.
Com isso, o Poder Executivo encaminhou na semana passada o Projeto de Lei (PL) 295/2018, com objetivo de regularizar a remissão de créditos tributários do imposto sobre a saída interna de suínos vivos do produtor para as cooperativas à qual o suinocultor seja cooperado. A medida consta no Convênio ICMS 45/2018, de 16 de maio de 2018. A proposta abrange todos os créditos cujos fatos geradores tenham ocorrido até 12 de abril deste ano. É a primeira matéria sobre o tema que chega à Alesc após a decisão do Poder Judiciário.
Na exposição de motivos do PL, o secretário de Estado da Fazenda, Paulo Eli, explica que, a partir dessa decisão do TJSC, a concessão de benefícios fiscais de ICMS pelo governo catarinense passará a seguir um novo rito. Os convênios entrarão em vigor após sua publicação, mas só produzirão efeitos após a aprovação do projeto de lei específico, que será encaminhado pelo Executivo à Assembleia, que não poderá alterar o que foi definido no texto do convênio.
“A Assembleia Legislativa irá deliberar sobre os benefícios a serem concedidos por meio da regulamentação dos convênios autorizativos, ressalvando que a nobre casa legislativa tem como baliza o próprio texto do convênio, não podendo conceder a mais ou a menos do que os limites determinados pelo próprio convênio autorizativo, tendo o poder de deliberar não apenas se aceita ou rejeita o benefício, mas, como já fora dito, sobre o próprio benefício”, explica o secretário.
A Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) referente ao ano de 2019, aprovada pelos deputados em julho passado, já estabelece que a prerrogativa da concessão do benefício fiscal é do Poder Executivo, no entanto só poderá ser concedida com autorização da Assembleia Legislativa. Tal determinação foi possível graças a uma emenda apresentada pela Comissão de Finanças e Tributação da Alesc, apresentada ao projeto de LDO e aprovada pelos deputados.
O PL 295/2018 tramita em regime ordinário na Alesc e está sob a relatoria do deputado Mauro de Nadal (MDB), na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). A matéria tem que passar ainda pela Comissão de Finanças e Tributação e pela Comissão de Agricultura e Política Rural antes de ir a plenário.
Marcelo Espinoza
AGÊNCIA AL

Caminhão atropela idoso e tomba na BR-376, em Ponta Grossa

Caminhão atropela idoso e tomba na BR-376, em Ponta Grossa — Foto: PRF/ Divulgação

Um caminhão carregado de adubo atropelou um idoso e depois tombou na pista, na BR-376, em Ponta Grossa, nos Campos Gerais, por volta das 11h30.

O homem, que tem 80 anos, teve apenas ferimentos leves e foi encaminhado para o Pronto Socorro, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF).
O caminhoneiro trafegava por uma via lateral, na altura do km 495, devido a obras na pista, quando atropelou o pedestre, perdeu o controle da direção e tombou, conforme a polícia.
A pista ficou completamente interditada no sentido Ponta Grossa e foi liberada às 15h15. Até que a carga fosse retirada, o trânsito foi direcionado para uma via local, próxima ao acidente.

Ainda de acordo com a PRF, o condutor do caminhão, de 33 anos, não se feriu. Ele fez o teste do bafômetro que detectou que ele não estava bêbado.

Pânico na CIC: Mais de 300 casas destruídas em incêndio na região em que PM foi morto

(Fotos: Daniela Sevieri - Banda B)

Um incêndio que começou no fim da noite desta sexta-feira (7) destruiu a Invasão 29, que fica na Estrada Velha do Barigui, na Vila Corbélia, na Cidade Industrial de Curitiba (CIC). Na mesma região, durante a madrugada anterior, um policial militar foi assassinado após atender uma ocorrência de pertubação de sossego. Mais de 300 casas foram destruídas e famílias perderam tudo. Não houve vítimas fatais.

Uma das moradoras da Vila Corbélia afirmou que o incêndio teria sido criminoso em represália ao crime contra o soldado Erick Norio, do 23° Batalhão, que foi atraído para uma emboscada após uma chamada de atendimento a uma ocorrência. “O que o pessoal conta é que houve tiros e foram jogados rojões contra as casas. O fogo foi criminoso. Os moradores não têm dúvidas disso”, descreveu.

A capitã Rafaela, do Corpo de Bombeiros, afirmou que o incêndio foi de grandes proporções com centenas de casas destruídas e um bombeiro e um policial militar feridos. “Foi realmente um incêndio com muita dificuldade para controle. Tivemos que entrar só com mangueiras e foram 300 casas destruídas, em um espaço de 10 mil metros quadrados. Um soldado dos bombeiros ficou ferido, bem como um policial militar, porque a população acabou reagindo. Eles jogaram pedras na viatura também”, afirmou.

Nesse primeiro atendimento, o Corpo de Bombeiros não confirmou nenhuma vítima fatal. “Nenhuma confirmação e também sem familiar reclamando do desaparecimento de alguém”, disse.

‘Perdemos tudo’

Uma moradora, desesperada, falou que pessoas ‘de bem’ perderam tudo. “Meus pertences estão aqui espalhados pela rua. Nós perdemos tudo. Aqui a gente trabalha e agora fizeram isso. Botijão de gás e casas explodindo. Nós trabalhamos o dia todo, os bandidos não estão aqui”, garantiu.
Outra mulher que mora no local lamentou o cenário de guerra na Vila Corbélia. “Foi uma situação lamentável depois do crime do policial. Abordagens e um clima muito tenso. Agora ficou aqui este cenário de destruição, com crianças chorando porque perderam o pouco que tinham”, lamentou.

Polícia Militar

Em conversa com a Polícia Militar (PM) durante o atendimento ao incêndio, a reportagem foi informada de que a corporação foi acionada para dar apoio ao Corpo de Bombeiros e, nesse momento, não tem conhecimento do envolvimento de policiais no incêndio. A PM ainda fez contato com a Prefeitura pedindo apoio para os centenas de desabrigados. As causas do incêndio ainda serão apuradas.
Quem quiser ajudar as diversas famílias que perderam tudo pode entrar em contato com a Associação de Moradores do Bairro pelo telefone 99151-8050 (falar com Juliano).

Crime

O soldado Norio foi atingido com um tiro no colete balístico e outro do pescoço, que acabou sendo fatal. O parceiro dele, assim que viu o amigo ferido, o colocou na viatura e seguiu até a UPA Barigui.
Erick Norio  estava há 5 anos na Polícia Militar do Paraná, integrando o 23° Batalhão. Ele deixou esposa e um filho de 4 anos.