quarta-feira, 23 de março de 2011

Atriz Elizabeth Taylor morre aos 79 anos


A atriz Elizabeth Taylor morreu, aos 79 anos, nesta quarta-feira (23), informou a imprensa norte-americana. A artista estava hospitalizada no Cedars-Sinai Hospital, em Los Angeles, informou a rede de televisão ABC. Elizabeth morreu cercada pelos filhos.

Em comunicado, a agente da atriz, Sally Morrison, informou que Elizabeth morreu cercada pelos filhos. Ela estava internada havia seis semanas, após apresentar um problema no coração.

Elizabeth ganhou o Oscar duas vezes. Segundo a ABC, no fim da vida ela se tornou famosa por seus oito casamentos e pelo comportamento às vezes excêntrico. Ela vinha apresentando problemas de saúde nos últimos anos e apareceu em público em estado de saúde frágil, lembrou a rede norte-americana.

Nascida em Londres, em 1932, de pais norte-americanos, ela retornou para os EUA no final da Segunda Guerra. Em 1963, notabilizou-se pelo papel de Cleópatra. Ela recebeu o Oscar pelos filmes Quem tem medo de Virginia Wolf? e Disque Butterfield 8.

Cinema

Pouco depois de completar 10 anos de idade, Elizabeth conseguiu o papel principal no filme Lassie, de 1942. Mas talvez seja mais recordada por sua atuação, dois anos mais tarde, em A Mocidade É Assim Mesmo, sobre o amor de uma menina por um cavalo.

Depois de fazer uma série de papéis do tipo "a menina da casa ao lado", o primeiro indício de seu potencial dramático foi vislumbrado em Um Lugar ao Sol (1950). Ela confirmou seu talento em 1958 quando representou Maggie em Gata em Teto de Zinco Quente, baseado na peça de Tennessee Williams. O filme foi concluído semanas apenas após a morte em um desastre aéreo de seu terceiro marido, o rico produtor de cinema Mike Todd.

Porém, o talento de atriz de Elizabeth Taylor só foi reconhecido de fato quando ela estava na casa dos 30 anos e recebeu dois Oscar da Academia -- o primeiro em 1960 pelo papel de garota de programa em Disque Butterfield 8 e o segundo em 1967 pelo papel de uma esposa alcoólatra em Quem Tem Medo de Virginia Woolf?, baseado na peça de Edward Albee.

Sua carreira no cinema prosperou, e em 1961 ela recebeu 1 milhão de dólares pelo papel-título do malfadado Cleópatra.

Como a personagem do filme, que tem um caso tórrido com Marco Antonio, Elizabeth Taylor teve um amor tórrido com o intérprete deste -- Richard Burton, ator galês com formação teatral clássica.

Em 1994, depois de passar 14 anos distante das telas, Taylor retornou ao cinema com um papel pequeno em The Flintstones - O Filme. Depois disso, anunciou que estava se aposentando do cinema.

Vida

Nascida em Londres em 27 de fevereiro de 1932, Elizabeth Taylor disse muitas vezes que não queria ser atriz, mas que foi pressionada por sua mãe a seguir a carreira que a fez ganhar milhões de dólares.

Durante sua adolescência, ela foi controlada por sua mãe onipresente, a atriz Sara Sothern Taylor, e pelos estúdios Metro-Goldwyn-Mayer.

Sua vida romântica começou quando ela tinha 17 anos e ficou noiva de um herói do futebol americano, Glenn Davis. Em seguida, ficou noiva de William Pawley, filho de um embaixador dos Estados Unidos no Brasil.

Seu primeiro marido foi Conrad Hilton, em seguida, casou-se com o ator britânico Michael Wilding. Após a morte de seu terceiro marido, o produtor de cinema Mike Todd, em 1958, Taylor se envolveu em um triângulo amoroso com o cantor Eddie Fisher e a esposa deste, a atriz Debbie Reynolds, casando-se com Fisher a seguir.

Elizabeth Taylor se casou oito vezes, duas das quais com o ator Richard Burton, com quem viveu sua relação mais tempestuosa.

Ela se divorciou de Burton em 1974, casou-se novamente com ele em 1975 e divorciou-se mais uma vez, permanentemente, em 1976.

Depois de Burton, Taylor teve dois maridos: o senador John Warner e Larry Fortensky. Seu casamento com Fortensky chegou ao fim em meados dos anos 1990.

Em novembro de 1988 ela se internou na clínica Ford, supostamente devido a uma dependência de analgésicos que tomava por uma lesão nas costas, devida à qual foi submetida a várias cirurgias.

Em fevereiro de 1997 Taylor participou de um especial da ABC-TV "Happy Birthday Elizabeth-A Celebration of Life," que comemorou seu 65 aniversário e levantou fundos para pesquisas sobre a Aids.

Dias depois ela foi hospitalizada para a extração de um tumor cerebral. A cirurgia foi bem-sucedida.

Quando o ator Rock Hudson, que era seu amigo, morreu, em 1985, ela iniciou uma cruzada em prol dos doentes de Aids.

Na década de 1990 Elizabeth Taylor desenvolveu uma série de perfumes que fez sucesso.

Filmografia

Confira abaixo a carreira de Elizabeth Taylor no cinema e na televisão:

“God, the Devil and Bob” (2001) - seriado
"These Old Broads" (2001)
"Os Flintstones - O Filme" (1994)
“Os Simpsons” (1992) – seriado
“Captain Planet and the Planeteers” (1992) - seriado
“Doce Pássaro da Juventude” (1989)
"Il Giovane Toscanini" (1988)
“Poker Alice” (1987)
“Cenas de Mulher” (1986)
“North and South” (1985)
“Malice in Wonderland” (1985) – mini-série
“Hotel” (1984) – seriado
“All My Children” (1984) – seriado
“Between Friends” (1983)
“General Hospital” (1981)
“A Maldição do Espelho” (1980)
"Winter Kills" (1979)
“Hallmark Hall of Fame” (1978) – seriado
"A Little Night Music" (1977)
“Victory at Entebbe” (1976)
"The Blue Bird" (1976)
“O Ocaso de uma Vida" (1974)
"Meu Corpo em Tuas Mãos" (1973)
"Vigília nas Sombras" (1973)
"Divorce His - Divorce Hers" (1973)
"Hammersmith Is Out" (1972)
"Under Milk Wood" (1972)
"X, Y e Z" (1972)
"Jogo de Paixões" (1970)
"Ana dos Mil Dias" (1969)
"Secret Ceremony" (1968)
"O Homem que Veio de Longe" (1968)
"The Comedians" (1967)
"O Pecado de Todos Nós" (1967)
"Doctor Faustus" (1967)
"A Megera Domada" (1967)
"Quem Tem Medo de Virgínia Wolf?" (1966)
"Adeus às Ilusões" (1965)
"Gente Muito Importante" (1963)
"Cleópatra" (1963)
"Disque Butterfield 8" (1960)
"Scent of Mystery" (1960)
"De Repente, no Último Verão" (1959)
"Gata em Teto de Zinco Quente" (1958)
"A Árvore da Vida" (1957)
"Assim Caminha a Humanidade" (1956)
"A Última Vez que Vi Paris" (1954)
"Beau Brummell" (1954)
"No Caminho dos Elefantes" (1954)
"Rapsódia" (1954)
"The Girl Who Had Everything" (1953)
“Ivanhoé, O Vingador do Rei” (1952)
“Love Is Better Than Ever” (1952)
“Quo Vadis” (1951)
"Um Lugar ao Sol" (1951)
"O Netinho do Papai" (1951)
"O Pai da Noiva" (1950)
"The Big Hangover" (1950)
"Traidor" (1949)
"Quatro Destinos" (1949)
"Julia Misbehaves" (1948)
"A Date with Judy" (1948)
"Cynthia" (1947)
"Nossa Vida com Papai" (1947)
"Courage of Lassie" (1946)
"A Mocidade é Assim Mesmo" (1944)
"The White Cliffs of Dover" (1944)
"Jane Eyre" (1944)
"Lassie Come Home" (1943)
"There´s One Born Every Minute" (1942)

"FONTE" GAZETA DO POVO

Nenhum comentário: