domingo, 26 de fevereiro de 2017

Delegado da Polícia Federal é preso no momento em que dividia propina de R$ 35 mil por não indiciar empresário


A Polícia Federal deflagrou neste sábado (25) a Operação CORRUMPERE para desarticular uma organização criminosa composta por um Delegado de Polícia Federal de Londrina, um proprietário de empresa de segurança privada e outros envolvidos.
Cerca de 40 Policiais Federais cumpriram seis mandados judiciais, sendo dois de prisão preventiva, quatro de busca e apreensão, expedidos pela Vara Federal Criminal. Todos de de Londrina, norte do Paraná.
As investigações apontam que o Delegado de Polícia Federal Sandro Viana solicitou vantagem indevida a proprietário de empresa de segurança privada. Em troca, o policial deixaria de realizar o indiciamento formal do empresário em inquérito policial que apurava sua conduta.
A prisão foi feita no momento em que o delegado dividia uma propina de R$ 35 mil com um intermediador que o auxiliou a extorquir o dinheiro de um empresário de Londrina.
A Polícia Federal informou que o inquérito, aberto em 2015, foi concluído em janeiro de 2017 sem nenhum indiciado, em virtude deste pedido de propina. O motivo pelo qual o empresário, vítima da extorsão, foi investigado é mantido em sigilo.
O delegado ficaria com R$ 20 mil, e o intermediador com R$ 15 mil, segundo a Polícia Federal.
Os presos poderão responder pelos crimes de corrupção passiva, organização criminosa e peculato. Eles serão transferidos para Brasília/DF.
A denominação Operação CORRUMPERE é uma referência ao ato de corromper que causa a destruição das instituições públicas, maculando a estrutura de um país, causando em última instância prejuízos incalculáveis à nação.

Nenhum comentário: