domingo, 5 de fevereiro de 2017

Greca diz que culpa do aumento é dos subsídios de uma prefeitura “metida à boazinha”

O prefeito Rafael Greca (PMN) usou as redes sociais no começo da tarde deste sábado (4) para defender o reajuste de R$ 3,70 para R$ 4,35 na tarifa do transporte coletivo de Curitiba. Ele disse que o que a gestão está fazendo é “necessário” e, sem citar nomes, atacou Gustavo Fruet (PDT) por criar um subsídio municipal ao valor pago ao sistema.
“Estamos retomando o sistema (que nos custou décadas de pestanas) em suas bases reais. A política de subsidiar o transporte com dinheiro público municipal foi anestesia que não funcionou, e apenas adiou responsabilidades. Hoje são 240 ônibus sucateados. E de quem é a culpa? Da prefeitura metida à boazinha que imaginou ter poderes mágicos de tocar a música que a cidade deveria dançar enquanto todos perdiam a batalha dos custos. E enquanto brincavam de DJ do bem, tiravam na maldade e na incompetência dinheiro da saúde e do social para colocar na passagem e sair na foto de superbonzinho”, atacou Greca.
O subsídio citado por Greca é um criado pela gestão Fruet em 2013, após anúncio do governador Beto Richa (PSDB) de que o repasse estadual ao transporte coletivo seria reduzido. Na ocasião, a gestão da prefeitura passou a bancar com 33% do custo do sistema para que não houvesse aumento na tarifa da Rede Integrada do Transporte (RIT). Dois anos depois, a Urbs anunciou a separação financeira da rede integrada e disse que o objetivo era reduzir os altos gastos da administração municipal com o transporte coletivo. Vale lembrar que o subsídio estadual foi criado em 2012, fruto de uma parceria entre o governo Richa e a então gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB).
Ao longo do mandato, Fruet costumava dizer que a questão do transporte coletivo era uma “bomba-relógio”. O pedetista afirmou, por mais de uma vez, que a licitação de 2010, feita por Richa, possuí muitos problemas e que todos os lados alegam déficit em conta.
“Necessário”
Ainda no post deste sábado, Greca afirmou que o aumento da passagem é o ‘necessário’. “Estamos correndo em busca do tempo perdido. O sistema de transporte encontra-se sucateado e parado. E parado não vai nos levar a lugar algum. Frota que não anda e se incendeia é coisa de irresponsável. Disse durante a campanha e repito: as coisas custam o que custam. A vida sempre manda a conta. Nem mais, nem menos; o justo. A injustiça (promovida pela demagogia) vai morrer aqui”.
O valor da passagem sobe a partir de segunda-feira.

Nenhum comentário: