terça-feira, 28 de março de 2017

Prometida como solução para BR-116, Linha Verde ainda preocupa moradores por más condições das vias

                                            (Foto: Ricardo Almeida/SMCS/Divulgação) 

Prometida como a solução para acabar com o congestionamento e ligar Curitiba de Norte a Sul, a Linha Verde se transformou em dor de cabeça para quem precisa utilizar o trecho diariamente. As obras, que começaram há dez anos, ainda não terminaram e, em alguns locais, não têm nem previsão para chegar.
Este é o caso da região Sul, onde a população reclama de um trecho de 3,5 km, que vai do viaduto do Contorno até as churrascarias no bairro Pinheirinho. A falta de intervenção da prefeitura, segundo os moradores, é responsável pelas péssimas condições da pista.
“Tem muito buraco, eu passo pela Linha Verde todo dia e é terrível. Dá muito soco, se você está de ônibus, chega a quase cair do banco. O pior é que ninguém faz nada, eu estou revoltada há muito tempo com isso, não é de hoje”, reclamou Paulina Filipack, que vive no bairro Capão Raso, mas tem familiares em Mandirituba, na região metropolitana, em entrevista à Banda B.
Segundo ela, vários acidentes já foram registrados no local, inclusive fatais. “Acho que só não morreu mais gente porque Deus cuida. Esse é o trecho mais difícil que tem em forma de rodovia no estado. Eu já falei com vereadores e várias outras autoridades, eles dizem que vão analisar o caso, mas até hoje nada”, completou.
O planejamento atual prevê que o trecho final da Linha Verde será concluído em maio de 2018. Ao todo, as obras terão um custo de R$ 505,4 milhões.
Resposta
Em nota, a prefeitura de Curitiba informou que está buscando recursos no governo federal para a extensão da Linha Verde na BR-116 até o viaduto do contorno Sul. Enquanto isso, a administração programa algumas obras emergenciais para recuperar a qualidade do pavimento e melhorar a sinalização.

Nenhum comentário: