quinta-feira, 6 de abril de 2017

CLASSIFICADO, COM EMOÇÃO, Paraná Clube sofre, mas passa pelo ASA nos pênaltis


O Paraná Clube está na quarta fase da Copa do Brasil. Foi com uma boa dose de sufoco, mas nos pênaltis o Tricolor eliminou o ASA-AL e agora vai encarar o Vitória-BA, com o primeiro jogo já na próxima quinta-feira, em Salvador. “Não foi do jeito que imaginávamos, mas mesmo sem fazer um bom jogo, valeu pelo poder de concentração para avançarmos na cobrança de penalidades máximas”, disse o técnico Wagner Lopes.

Após o 0x0 – com pênalti perdido por Eduardo Brock – no tempo normal, o Paraná fez 4x1 nos pênaltis. “Foi atípico. Erramos demais nas finalizações e, num jogo eliminatório, isso faz a diferença”, destacou Wagner. Logo aos 6 minutos, num lançamento sensacional de Guilherme Biteco, Robson avançou pela esquerda e bateu no canto, para a defesa – com a ponta dos dedos – do goleiro Luís Cetin. Mas, com uma marcação bem encaixada, o ASA do técnico Maurílio Silva impôs dificuldades.

Nas raras investidas, ainda ameaçou a meta do goleiro Léo, como no chute de Airton, aos 12 minutos. Léo precisou se esticar todo para defender a falta cobrada de Téssio, aos 23. Na fase final, o Paraná tentou acelerar ainda mais o jogo, mas sem a eficácia planejada. A melhor oportunidade viria aos 23 minutos. Após o tiro de Biteco, de fora da área, o árbitro viu toque de mão do zagueiro Anselmo. Na cobrança, Eduardo Brock mandou pela linha de fundo. “Ele teve o melhor desempenho durante os treinos da semana”, destacou Wagner Lopes.

A partir daí, o jogo ficou perigoso. Wagner Lopes fez mudanças no ataque, com as entradas de Nathan e Felipe Alves, mas a medida que o tempo passava, a tensão aumentava. Um gol do ASA seria sinônimo de eliminação. Felipe Alves, aos 37 minutos, ajeitou, tirou o marcador e mandou pela linha de fundo. Mas, mesmo com cinco minutos de acréscimos, o gol não saiu.

Na decisão por pênaltis, brilhou a estrela do goleiro Léo. O camisa 1 tricolor defendeu a cobrança de Airton (a segunda do time alagoano) e jogou pressão no ASA. Quando Djalma mandou pela linha de fundo sua cobrança, o Paraná encaminhou a classificação. O Tricolor teve 100% de aproveitamento, com gols de Robson, Diego Tavares, Leandro Vilela e Eduardo Brock. O zagueiro, que perdera a chance no tempo normal, fez o gol da classificação paranista. “Foi jogo de superação, também emocional. O grupo amadurece com situações como essa e só tenho a agradecer a força de todos”, concluiu Brock.

PARANÁ CLUBE 0x0 ASA
Paraná: Léo; Diego Tavares, Airton, Eduardo Brock e Kaike; Jhony, Alex Santana (Diego Vilela), Guilherme Biteco (Felipe Alves) e Renatinho; Robson e Pedro Bortoluzo (Nathan). Técnico: Wagner Lopes.

ASA: Luís Cetin; Douglas, Anselmo, André Lima e Airton; Mazinho, Leanderson (Gaspar), Juninho e Doda (Djalma); Téssio (Mandacaru) e Leandro Kivel. Técnico: Maurílio Silva.

Local: Durival Britto (Curitiba-PR)
Árbitro: João Batista de Arruda (RJ)
Assistentes: Michael Correia (RJ) e João Luiz Coelho de Albuquerque (RJ)
Renda: R$ 172.260,00
Público pagante: 6.219
Público total: 8.011
Cartões amarelos: Airton, Kaike, Alex Santana, Renatinho e Robson (Paraná). André Lima, Mazinho, Gaspar, Doda e Leandro Kivel (ASA)

Departamento de Comunicação - PRC

Nenhum comentário: