quarta-feira, 5 de julho de 2017

Saúde apresenta novo gerente do Samu e anuncia mutirão de cirurgias eletivas

João Batista e Caropreso. Fotos: James Tavares/Secom
O secretário de Estado da Saúde, Vicente Caropreso, apresentou, nesta terça-feira, 4, o novo gerente estadual do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), o tenente-coronel do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina, João Batista Cordeiro Júnior. Um novo modelo da estrutura do Samu está sendo construído pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), Corpo de Bombeiros e Secretaria de Estado da Fazenda.
Caropreso começou falando que o novo gerente é um profissional com muita experiência. “Quero comunicar a vocês que tenho hoje, ao meu lado, o tenente-coronel João Batista, que é piloto de helicóptero, tem 30 anos de corporação, é instrutor de cursos de salvamento de pessoas, faz parte da organização das 120 ambulâncias e quatro aeronaves disponíveis no Corpo de Bombeiros, prestando um inestimável serviço aos catarinenses”. O secretário ainda disse que o atual momento do Samu é de renovação e aprimoramento do sistema, que já é muito bem avaliado, com excelentes profissionais exercendo uma tarefa árdua. “Queremos evoluir e transformar esse serviço em uma política de Estado”, acrescentou Caropreso.
O secretário da Saúde ainda comunicou uma novidade para o serviço móvel. “Além da participação do tenente-coronel, iremos agregar uma coordenação médica por parte da SES, de dois médicos emergencistas que farão um contraponto com a empresa que está prestando o serviço do Samu, no caso a Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM)”, complementou o secretário.
A superintendente de Serviços Especializados e Regulação, Karin Geller, explicou que está sendo realizado um trabalho de profunda discussão sobre o modelo do Samu catarinense. “O Estado conta com 97 ambulâncias de Suporte Básico distribuídas e organizadas junto aos municípios catarinenses. Os bombeiros possuem 120 unidades, temos 23 Unidades de Suporte Avançado e oito Centrais de Regulação do Samu. Somos o estado pioneiro na construção desta política de regulação das urgências. Somos um dos poucos estados que possui cobertura em 100% dos municípios catarinenses. E a intenção é aprimorar o Samu e torná-lo ainda melhor no comando da SES”, explicou a superintendente.
O gerente do Samu, tenente-coronel João Batista Cordeiro Júnior,  disse que, além da experiência no atendimento pré-hospitalar em SC, ele tem formação na área jurídica e de administração. “Tudo isso irá agregar nesse novo modelo do Samu. Não há pacote pronto, estamos avaliando uma nova proposta e vamos discutir com a sociedade, com os profissionais de saúde. A ideia é integrar estruturas, potencializar serviços e prestar o melhor serviço à comunidade”,  destacou o gerente.
O tenente-coronel João Batista garantiu que os serviços irão melhorar. “É um momento de esclarecimentos e estamos trabalhando na definição desse novo modelo, que busca construir algo ainda melhor para a população catarinense”, concluiu.
Mutirão de Cirurgias Eletivas 2017
Na coletiva de imprensa, também foi anunciado o Mutirão de Cirurgias Eletivas 2017. Esta campanha ocorrerá nos meses de julho a setembro deste ano, com recursos federais de R$ 8,4 milhões. O Ministério da Saúde (MS) irá transferir os recursos, de fundo a fundo, diretamente para os municípios com gestão plena. Os demais receberão por meio do Governo do Estado.
Os valores dos prêmios serão ampliados em R$ 100 do que era pago anteriormente. Estão programados R$ 5.448.268,90 para cirurgias hospitalares e R$ 2.933.683,26 para cirurgias oftalmológicas.
Segundo o secretário de Estado da Saúde, Vicente Caropreso, a partir do mês de outubro, o mutirão de cirurgias terá continuidade com incremento, até o final do ano, de R$ 28 milhões do Fundo Estadual de Apoio aos Hospitais Filantrópicos de Santa Catarina e ao Hemosc e Cepon, aprovado pela Lei 17.056, de 21 de dezembro de 2016, na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc).
“Com este repasse, R$ 8,3 milhões serão destinados aos municípios para liquidar as cirurgias eletivas realizadas em 2016. Dez por cento será repassado à Fahece para o pagamento dos serviços do Cepon e Hemosc. E R$ 12 milhões serão destinados à Campanha de Cirurgias Eletivas do último trimestre do ano”, explicou Vicente Caropreso, acrescentando que, na próxima quinta-feira, 6, haverá uma audiência como o ministro da Saúde, Ricardo Barros, solicitando mais recursos para as cirurgias eletivas.
O secretário informou que os pacientes que forem realizar essas cirurgias eletivas serão atendidos pelo Sistema de Regulação Nacional (Sisreg). “Serão em torno de 19 mil procedimentos previstos nessa campanha. Esse número equivale a um terço de nossa fila. Hoje, temos um déficit de 60 mil procedimentos para serem realizados”, falou Caropreso.
A campanha terá 37 procedimentos cirúrgicos hospitalares e oftalmológicos. Dentre os hospitalares, a campanha contemplará cirurgias gerais, urológicas, ginecológicas, ortopédicas, otorrino, nefrológicas, múltiplas, de cabeça e pescoço. Com relação à oftalmológica, a principal é a de cataratas.
O objetivo do mutirão, que ocorre em todas as regiões catarinenses, é diminuir a fila de espera por cirurgias de menor gravidade, como catarata, varizes, hérnia e vesícula. As pessoas que precisarem realizar as cirurgias inclusas no mutirão devem procuram o posto de saúde mais próximo. 
Informações adicionais para a imprensa:
Gabriela Ressel
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado de Saúde
Telefone: (48) 3664-8822
E-mail: imprensa@saude.sc.gov.br / secretariadeestadodasaude@gmail.com

Nenhum comentário: