quarta-feira, 16 de maio de 2018

PENEIRA Paraná Clube tem defesa mais vazada do Brasileirão

Em três jogos, o goleiro David tomou seis gols. Foto: Divulgação/Paraná Clube.
Se o ataque do Paraná Clube está deixando a desejar pela falta de pontaria e escassez de gols neste início de Brasileirão, a defesa paranista não fica para trás. Ao final da quinta rodada da competição nacional, o Tricolor alcançou a marca de pior defesa do certame. Com os três gols sofridos na derrota para o Santos, fora de casa, no último domingo, a equipe do técnico Rogério Micale chegou aos 11 tomados em cinco partidas, ou seja, mais de dois gols levados por jogo.
O Paraná, na verdade, com apenas um ponto conquistado até agora e afundado na lanterna do Campeonato Brasileiro, sofreu gols em todos os jogos. Os melhores desempenhos foram nos duelos fora de casa contra São Paulo e Chapecoense, quando acabou tomando apenas um gol em cada duelo.
O desequilíbrio defensivo do Paraná aconteceu nas derrotas sofridas para Sport, derrota por 2×1, para Corinthians, goleada por 4×0 e para o Santos, quando perdeu por 3×1. Por isso, o técnico Rogério Micale ainda tenta encontrar a melhor formação defensiva para a sequência do time paranista no Brasileirão.
Diante do Santos, por exemplo, o técnico Rogério Micale perdeu dois jogadores importantes da defesa. O zagueiro Cléber Reis e o lateral-esquerdo Mansur não atuaram. Entraram o zagueiro Rayan e o lateral Igor, que não conseguiram manter o mesmo nível dos jogadores que vinham atuando.
Além do Paraná, aparecem com os piores aproveitamentos defensivos do Campeonato Brasileiro o Vitória, que já sofreu 10, o América-MG e a Chapecoense, com nove gols sofridos, e o Ceará, que já tomou 8 gols até agora na competição nacional.
Por conta da falta de eficiência do seu ataque, o Paraná tem também o pior saldo de gols do Brasileirão, com oito gols negativos. Isto porque o Tricolor, em cinco rodadas, tem apenas três gols marcados e, neste quesito, só é melhor que o Internacional, que marcou apenas duas vezes na competição nacional.

Nenhum comentário: