sexta-feira, 19 de outubro de 2018

TRE/SC apresenta balanço do 1º turno: propagadores de fake news serão penalizados

Foto divulgação Assessoria de Comunicação TRE-SC
Passados 11 dias do primeiro turno, o Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina (TRE/SC) apresentou na manhã desta quinta-feira (18) um balanço desta primeira etapa das eleições 2018. Durante a entrevista coletiva, o presidente afirmou a seguridade das urnas e disse que fontes produtoras de notícias falsas sobre o sistema eleitoral serão investigadas.
Até o momento a Polícia Federal (PF) já identificou 10 nomes envolvidos em reprodução de fake news em Santa Catarina. “No mundo virtual, é muito importante que se diga, também há responsabilização pelos atos e fatos como no mundo real. Nao há como se esconder atrás de um teclado de computador ou de um smartphone, tudo deixa rastros e o autor poderá ser muito bem localizado”, afirmou o presidente do TRE, Ricardo Roesler.
Disseminadas principalmente pelas redes sociais, as notícias falsas colocam em dúvida a seguridade do sistema eleitoral. O presidente afirma que antes a preocupação da justiça era com o impacto das fake news sobre os candidatos e os partidos, mas agora é com o processo eletrônico de votação.
“Eu não vou permitir de forma alguma que se tente desacreditar o trabalho honesto, íntegro, de responsabilidade, de ética, de empenho, de dedicação de muitos anos, essa construção é diária, com o comprometimento dos valorosos e competentes servidores da Justiça Eleitoral, notadamente estou falando de Santa Catarina. Dos juízes eleitorais, dos procuradores e todos os colaboradores que se dedicaram a organização de uma eleição segura, transparente e eficiente”, disse Roesler.
Na votação do dia 7 de outubro, o TRE recebeu 744 registros de ocorrência sobre alguma desconformidade nas urnas, com reclamações dos próprios eleitores. A sessão com maior número de comunicados de ocorrências foi em São José, com sete reclamações, seguida por Florianópolis, que registrou quatro.
As urnas que tiveram registro de ocorrência serão auditadas por peritos do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A maior parte das reclamações é sobre a finalização do voto para presidente.
“Nenhum voto, absolutamente nenhum voto para presidente deixou de ser computado. Essa conclusão está atestada pelo boletim de urna que sai logo depois da finalização da eleição. No registro digital, relatório digital de totalização que sai no TRE, como sai em todo país nos TRE’s.  No relatório de registro digital da totalização do TSE, que é um espelho da totalização daqui e do boletim de urna. Então são três documentos”, assegurou o presidente.
Com a colaboração de Carolina Lopes/Agência AL

Nenhum comentário: